Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Algo mais sobre haicai



1º - Primeiro há que se definir o que seja Haicai. Para isto tem-se que retornar no tempo e no espaço, ou seja, retornar ao Japão antigo, na antiga capital EDO, hoje atual Tokio, e também ao Teatro No, tradicional formato teatral que mantem-se igual há mais de 1100 anos.

Neste Teatro No, uma modalidade teatral, com muito pouco gestual e escasso cenário, era (e ainda é) onde, todas as falas eram (e continuam sendo) no formato, 5-7-5. Ou seja, as redondilhas, menor e maior.

Este, resumidamente, é o começo do haicai, entretanto, o formato inicial, há 900 anos, não se configurava ainda na atual métrica 5-7-5.

O Haicai era uma parcela, isto é, a parte inicial do Tanka, uma modalidade de versificação no formato 5-7-5-7-7. O que nos salões japoneses era praticado em grupo, ou seja, começava com alguém fazendo a primeira parte 5-7-5, e o outro, dava continuidade fazendo a segunda parte com 7-7. E outro retornava ao 5-7-5 e assim por diante.

Este modelo, com dois ou mais participantes chama-se RENGA (e é praticado até os dias atuais).

Durante a Dinastia Tokugawa começa a prática do haicai, no formato atual, ou seja, sem a parte final do Tanka. A partir desta época vieram os grandes mestres haicaístas.

No Brasil, o Haicai veio com a imigração Japonesa, no navio Kassato Maru, em 1908, e ficou restrito a colônia japonesa por cerca de 30 anos.

Foi quando os imigrantes e filhos de imigrantes, começaram a aprender a língua portuguesa, haja vista, a grande maioria dos imigrantes japoneses não conhecerem a língua portuguesa, exceto alguns que lhes serviam de tradutores ou intérpretes quando necessário.

Nesta época começou-se a verter os haicais da língua original em que eram escritos (japonês) para português, e também, alguns poucos imigrantes que aprenderam o idioma (português) e filhos de imigrantes que eram bilíngues (português/japonês), e que se dedicaram ao haicai, já que poucos dos imigrantes japoneses dedicavam-se ao Haicai (os imigrantes eral lavradores) e até hoje, muitos da 3ª ou 4ª geração de japoneses no Brasil não conhecem ou somente ouviram falar do Haicai.

Existe uma publicação, o Jornal Nippo-Brasil, que se dedica a vários temas japoneses inclusive o Haicai:

 (http://www.nippobrasil.com.br/zashi/2.haicai.mestres/semana.shtml),

E neste link que aqui coloquei, consta muita matéria sobre o Haicai, sobre os grandes mestres haicaístas Japoneses, os grandes mestres haicaístas Nipo-brasileiros e alguns mestres haicaístas Brasileiros.

E para o engrandecimento do Haicai é interessante que se atenha a leitura deste material. Creio que após a sugerida leitura, muitos deixarão de pensar que Helena Kolody, Millor Fernandes e Paulo Leminski foram haicaístas.


http://www.nippobrasil.com.br/zashi/2.haicai.mestres/semana.shtml

.
Osiris Duarte de Curityba
Enviado por Osiris Duarte de Curityba em 14/04/2012
Reeditado em 16/12/2013
Código do texto: T3612242
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Osiris Duarte de Curityba
Portugal
50 textos (15653 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/20 13:16)
Osiris Duarte de Curityba