Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda


16/08/18 16:21 - Espirito Santo
                                         ALMA / CORPO

clique no nome (Espirito Santo) acima citado / clique em (TEXTOS) / clique no (TOPICO) / Leia / Medite e deixe seu comentário ! Paz e Bem !
16/08/18 15:10 - Lourenço Oliveira
https://www.recantodasletras.com.br/poesias-de-reflexao/6420781
16/08/18 15:02 - Amontesferr
ESCREVA ESCRAVA

Escrava, escreva a sua sina
sua cor e sua rima
os olhares que te vê,
desde menina...
Como se tu fosse um ima
ou... Assassina.

Escreva, escrava, escreva...
Escreva sua ingenuidade sua pureza
a sua simplicidade e nobreza...
Escreva essa cútis toda tesa
perante uma sociedade viciada
escreva sua pobreza, escreva
escreva essa vida vezes nada.

Eu sei, eu sei...
Nada deve quando se vai
mas é você que paga seus ais...
Escreva os valores dos sinais
escreva as coisas da mãe
escreva o blefes do pai.

Escreva escrava, escreva...
Escreva o seu ai, ai, ai
enquanto o momento é dia
e a escura noite não cai...
Escreva todos os seus sonhos
nessa vida passageira
enquanto a saudade vai.

Antonio Montes

16/08/18 12:21 - AnnaLuciaGadelha

Iolanda

16/08/18 10:37 - Dalton LA Carvalho
Tem news no blog...
Aproveita que agora eu me Lembrei

Bom dia! ;)
16/08/18 09:38 - Uma Mulher Um Poema

APRESENTO-LHES A MINHA PUBLICAÇÃO DE HOJE!!!
ALDRAVIA - CEREJEIRA.
ABRAÇO FRATERNAL!!!
16/08/18 08:21 - JUNIOR CAMPOS
SÁBIO BEIJA-FLOR

Que sábio beija-flor
no meu ouvido cantou
em um mundo de dor
viver o amor me mandou


LEIA MAIS:


Balanço da rede
16/08/18 06:57 - Francisco de Assis Góis
Marcas do Tempo

Segundo Mario Quintana, “o tempo é uma invenção da morte:
não o conhece a vida - a verdadeira -
em que basta um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira”.

Imaginem!  Para o poeta, basta “a saudade para parar o tempo”!

Ah... esses poetas... que seres maravilhosos!
Não importa se com versos, pintura ou fotografia,
Que mundo maravilhoso eles nos proporcionam...
Conseguem trazer o passado e até o futuro, hoje em dia,
Aqui, agora, expandindo nosso presente,
Pois é o presente, a única fração do tempo
Que realmente nos pertence.

Mas para mim, o tempo é justo... nem bom, nem mau.
Ele é apenas o justo meio pelo qual todas as coisas passam...
Assim, totalmente democrático e imparcial,
Nada dele consegue se esconder...
Seja animal, mineral ou vegetal.

Por ele passa com a mesma igualdade fria
Tanto a mucama quanto a princesa,
O prazer, o amor e a alegria,
Assim como a dor o rancor e a tristeza.
Às vezes chego a pensar nele como sendo...
A própria Onisciência e Onipresença de Deus...
O OLHO QUE TUDO VÊ.

Francisco de Assis Góis
16/08/18 01:46 - Black Phoenix
Se você é fã do terror e do sobrenatural, aqui vai uma sugestão de conto:

                        Existe realmente o céu e o inferno?
Um garotinho de nove anos costumava ouvir os adultos falarem frequentemente
sobre o inferno e sua curiosidade infantil o fez se perguntar:

                                       ONDE É O INFERNO?
Um conto que mostra que o inferno está mais perto do que pensamos e se nos
descuidarmos, estamos nele num instantinho, mesmo vivos.
                                 
ONDE É O INFERNO?
Não é  um conto sobre as agruras e os sofrimentos que passamos na terra, e sim, uma descrição de um garoto que realmente encontrou com o demônio. 

Clique no link para ler o texto:
https://www.recantodasletras.com.br/contosdeterror/3225615

 
15/08/18 22:13 - Renata RMB
 
MARCAS, DEIXEI
Deixei marcas na minha mãe quando eu nasci.
Deixei marca no meu pai quando falei pela primeira vez seu nome(papai)
Deixei marcas na escola quando pintei minhas mãos em um mural na parede da escola.

Deixei marcas em mim mesmo quando cai correndo.
Deixei marcas em digitais
Em rostos ,abraços e cumprimentos.
Minha marca sai deixando

É provável que uma marca a unha tenha te deixado, não importa o lado se foi boa ou ruim...
Marcas estão aí para serem lembras
Como alegria ou aprendizado
No presente ou no Passado.
 
15/08/18 20:40 - Leonardo Ulhoa
24-03.2014 – 21h58min –
Enquanto fores pequeno, repara bem nos que são seus amigos para que não os injustiças quando cresceres.
15/08/18 18:59 - Orfeu Merkabah
Está faltando meu d'eu em mim. 
15/08/18 17:56 - Vitor Pereira Jr

Olá!
Qual tema musical de desenho animado é o seu preferido? Em comemoração aos 90 anos dos desenhos animados com som, preparei uma lista com minhas preferências, meu TOP 10 com os melhores temas musicais de desenhos animados. Confira agora este TOP 10.
 
http://www.vitorpereirajr.prosaeverso.net/visualizar.php?idt=6420040

 
15/08/18 17:15 - Alexandre Ivanovski
128x128
A vida adoidada
Roberto vivia a vida adoidada. A primeira coisa de manhã era virar dois copos de whisky ainda no quarto de dormir. Depois, preparava um copo de Martini para acompanhar o café da manhã. Antes de sair de casa para o trabalho escovava bem os dentes e fazia gargarejo com produtos de higiene bucal para esconder seu forte etilismo.
Era vendedor em uma agência de carros usados. Estava de pé no trabalho às nove horas da manhã. Escondia uma garrafa de whisky na gaveta de sua sala e acabava fazendo uso dela durante todo o dia até as seis horas da tarde. Solteirão convicto, não era gay nem tampouco garanhão solitário. Alguém poderia dizer acertadamente que era misógino.
Amante da tecnologia tinha computador no Fiesta preto quase novo, na casa, e dois smartphones. Uma extensão a esse gosto digital era o vício em maquinas de cassino: sozinho no mundo, não havia a quem explicar-se e, por isso, de segunda a sábado depois do trabalho – após muitos tragos de bebida – visitava um cassino clandestino.
No cassino, mais doses de bebida. Para a noite, Roberto preferia beber inúmeras doses de vodca com laranja enquanto gastava muito nas máquinas de caça-níqueis. Não se aventurava no jogo de roleta, não gostava, talvez por intuição do mal potencial imenso que lhe faria aos bolsos. O pôquer estava fora de seu alcance. 
Ainda que não apostasse alto era um desastre no jogo, por que gastava nas maquininhas todo o dinheiro que possuía até o fechamento do estabelecimento. Mas como seria de se imaginar, existia ali um gerente disposto a emprestar dinheiro a pessoas como ele, que apostavam tudo na sorte. Alguém cuja derrota não o faria desistir da sorte no jogo. 
Passados alguns meses de caça-níqueis, Roberto devia uma quantia aproximada a cinco mil reais. E os donos do cassino, mesmo sem que ele tivesse pago nem mesmo uma parte do que devia, lhe ofereciam mais e mais crédito. Em duas noites acabou ganhando o equivalente a quinze mil reais, e fez questão de pagar imediatamente o que devia.
Mas nas noites subsequentes a sorte foi por água abaixo e, ao perder dez mil reais, precisou contrair uma pequena dívida novamente, no total de oito mil reais. A perda do dinheiro que tinha era tão fácil quanto adquirir um novo empréstimo no cassino para manter a sorte trabalhando a seu favor.
Que a sorte trabalhava a seu favor, disso não tinha dúvida o ébrio Roberto. Mas os fatos desmentiam o que via. Aquilo que porventura ganhava, e isso raramente, pagava o empréstimo. Mas acabava perdendo o restante na noite seguinte. E o gerente do cassino lhe abria a carteira. Outro empréstimo era contratado.
Uma noite, ao retornar a sua casa alcoolizado, foi parado por policiais em uma blitz. E para que? Teve a carteira apreendida, foi obrigado a pagar multa, e ficou proibido de dirigir durante um tempo. Mas uma cabeça desviada como a dele não compreendeu que aquele era um sinal de como conduzia mal sua vida.

A quantia de dinheiro para pagar a multa do carro teve de vir de um empréstimo de banco. Penalizado, passou então a recorrer a corridas de Uber para ir ao trabalho e retornar dele. E ele também pagava corridas para ir e retornar do cassino – que funcionava a toda força escondido dentro de um motel. 
Um ator experiente, continuava bebendo muito o dia inteiro sem que ninguém notasse. Eis que em uma madrugada de cassino conheceu uma companheira de bebida: Márcia ostentava muitas joias nos pulsos e braços. E sua mão esquerda raramente estava vazia, sem uma dose de rum. Ele esqueceu sua misoginia habitual e os dois se aproximaram.
A partir daí, mesmo falando com um falar embargado, bêbado, os dois se entendiam. E perdiam somas de dinheiro que os dois não possuíam, porque o dinheiro deles já estava previamente comprometido com o pagamento dos empréstimos do gerente. O lugar fechava às três da manhã, hora que saíam juntos no Corolla velho azulado de Márcia.
A companheira de bebida de Roberto fazia questão de deixa-lo em casa, sendo que só depois de assegurar-se de que ele estava bem dirigia para casa. Mas, veio uma noite que, devido à embriaguez e não sabendo bem o que estavam fazendo, acabaram os dois em um quarto do motel. Nem se tocaram porque, exaustos, foi chegar e dormir.
Esse dia não foi ao trabalho pela manhã, e teve que inventar uma mentira para o supervisor, o que foi recebido razoavelmente. Roberto, apesar de tudo, era o vendedor que mais vendia, e uma falta ao serviço para levar a mãe ao médico era um transtorno perfeitamente concebível.
Mas outro dia como esse aconteceu: Roberto e Márcia dessa vez haviam dormido dentro do carro em um acostamento da estrada nos arredores do motel. O supervisor de Roberto pareceu aceitar as desculpas do gerente mas ficou claro que surgia uma pulga atrás da orelha. O supervisor não ficou plenamente convencido da desculpa de Roberto.
Pois aconteceu uma terceira vez, igual às duas primeiras, e dessa vez o supervisor foi severo com Roberto. Se ele tivesse o azar de a própria casa cair em sua cabeça e precisasse faltar outra manhã de trabalho, estaria na rua. Roberto assustou-se com a incapacidade do chefe de ser solidário e logo prometeu que não aconteceria novamente.
Quis jogar a culpa da grande bagunça de sua vida em Márcia. Lembrou-se de que jamais confiara plenamente em uma mulher. Mas já não conseguia viver sem a coroa. Ligou esse dia para ela e relatou as dificuldades no trabalho. E aproveitou para combinarem de se encontrar de noite no cassino novamente. 
Devendo uma quantia de quinze mil reais ao gerente e sem sorte nenhuma no jogo, dormiu bêbado com Márcia no carro em um estacionamento de supermercado. Nesse dia, como advertido, foi demitido da agência de automóveis. A solução encontrada? Mudou-se para o apartamento da camarada. Mas dizem que a amizade não durou muito.
Texto de Alexandre Ivanovski. 110x101
Visite minha página:
www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=64408 
15/08/18 16:36 - ROBERTO BARROS XXI
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Cotidiano08/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas07/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas07/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas07/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Poesias > Reflexão06/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Mensagens05/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Mensagens05/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Amor31/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos30/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Fábulas30/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Fábulas30/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Amor28/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos27/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos27/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos27/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Frases13/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas13/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Humor30/05/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Aventura28/05/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos28/05/18
15/08/18 14:16 - Ludmila Gloria
CONVIDO A TODOS AMANTES DA POESIA A VISITAREM O MEU RECANTOS  PARA APRECIAR A MAIS DOCE POESIA QUE ACABO DE PUBLICAR:
DIAS SOMBRIOS
15/08/18 13:30 - Espirito Santo
                        VERDADE OU MENTIRA

clique no nome (Espirito Santo) acima citado / clique em (TEXTOS) / clique no (TOPICO) / Leia / Medite e deixe seu comentário ! Oaz e Bem !
15/08/18 11:55 - Amontesferr
DIZ SEM DIZER

Em meio a tanto dizer
a minha rima diz o que quer
fala... Meu bem, amor querer
por favor! Eu amo você.

Minha rima diz de tudo
só para montar um verso
mas eu te digo, nesse mundo
meu amor... Eu não presto.

As palavras são pra rimar
de tudo, que por ai há
as coisas que saem dá boca
não significa amar.

A minha rima diz o verso
poema através da estrofe
não diz do peito o confesso
meu amor, através do norte.

Não pense que o diz da rima
diz diretamente a tu...
A rima as vezes é branca
em outra é um urubu.

Antonio Montes

15/08/18 09:53 - Aleixenko
Caramba! Não morri!


Lógico: ninguém morre de véspera.


Se tinha alguém psicografando minhas mensagens agora cheguei...
15/08/18 08:02 - Clube Privado
PESSOAL!

ESTOU LANÇANDO MEUS TEXTOS NO WATTPAD E SE VOCÊS PUDEREM ME AJUDAR VOTANDO (SÓ CLICAR E JÁ VOTA) NOS QUE VOCÊS GOSTAREM... SERIA DE MUITA AJUDA. 


CLUBE SECRETO
15/08/18 07:26 - JUNIOR CAMPOS
BALANÇO DA REDE

No balançar da rede
veio-me uma lembrança
dum passado ainda verde
CONTINUE LENDO

 

 
Aproveite também e descubra quais textos que te aguardam nas Caixas Misteriosas? Quer saber? CLIQUE em uma caixa e LEIA o texto que separei especialmente para ti nesta manhã de quarta-feira!
15/08/18 06:40 - Jorge Gomes Oliveira
AQUI AONDE AS PLANTAS MORREM
Ferrari
Conheço um lugar, não tão longe do meu lar, onde as plantas não têm vida, e as que ainda têm, vão perdendo.

Não por falta de água ou ar, mas por descuido de quem deveria cuidar. Nem o dono do jardim nem o jardineiro cuidam.
Cuidam somente, e bem, das artificiais, daquelas que sorriem paralisadas, que sobrevivem com energias, mesmo que negativas.
Parece até um descaso com aquelas que são naturais, esse é o pecado, criado lá no paraíso, mas agora o cenário é um inferno.
O dono do jardim, ao invés de regá-las, se rega, se hidrata, se mata, com água que nem passarinho bebe. O pássaro pensa e é livre.
Livre para cantar, diferentemente das plantas que mesmo com o dom de falar, não podem. Mas elas são espertas, cochicham entre elas.
A comunicação é tudo, capaz até de movê-las, e no verde da esperança, jogamos nossas tranças para fugir, respirar, escapar, bem.
O Sol de cada dia, além da fotossíntese, que as deixam mais verdes e as fortalecem, jogam fora o que é ruim, mas não tem fim.
O fim são os vasos quebrarem, as naturais saírem em bando, ou mesmo aos poucos, sendo vistas por todas artificiais infernais.
Todas se merecem, o jardineiro e o dono ainda mais, pois não mais crescem, nem a estrutura que não é madura, floresce.
O futuro é o jardim lama, cheio de sal que na terra faz mal e o tempo salvará as naturais e afundará as artificiais.
 
 
14/08/18 23:43 - Sandrinha Máh

Olá... após um tempo, estou de volta ao Recanto para encantar e me encantar novamente...
Para quem não lembra de mim, visite meu espaço.... tem muitas poesias para você ler e comentar.... obrigada...;)
http://www.recantodasletras.com.br/autores/sandrinhamah

Acesse, conheça e curta também meus blogs
 https://impactodemestre.wordpress.com/
https://artesfluindo.wordpress.com/
Desde já agradeço a atenção... ;)
  
14/08/18 23:38 - Francisco de Assis Góis
Angústia

No fundo da alma,
No fundo do ser,
A dor me consome,
Que hei de fazer?

Do fundo da alma,
Do fundo do ser,
Preciso de ajuda,
Vem me socorrer!

No fundo da alma,
No fundo do ser,
Estou definhando,
Não quero morrer...

Francisco de Assis Góis
14/08/18 23:26 - Cláudio Bertini
VIVER

O que esperas da vida?
Perguntei ao cego
Não espero, respondeu

Vive em mim um jardim
e refloresço-me sempre
A primavera sou eu


conheça mas clicando aqui
14/08/18 23:14 - João Carlos Hey
30.04.2014 – 08h49min –
Tolerar o cônjuge exige grande dose de sabedoria; tentar entendê-lo é jogar fora a sabedoria.
14/08/18 18:54 - Talisom Wagner
Sei que não sou o melhor autor a ser lido, mas sei que vão gostar.


Malebranche

 
Para Malebranche a diferença entre ele mesmo e Espinoza parecia infinita. E externamente isso era verdadeiro. Espinoza era um judeu, excomungado da sinagoga; Malenbranche um padre cristão. Um foi educado na Cabala, o outro transitava nos escritos de Santo Agostinho.  Mas grande como eram as diferenças externas, julgamentos imparciais simplesmente reconectaram esses dois professores de teologias análogas. Descartes, como nós temos visto, admitia dois tipos de substância – a criada e a incriada – mas na realidade a última era apenas substância real.  Espinoza viu essa inconsistência e fez das substâncias criadas acidentes ou modos da incriada.  Mas essas substâncias criadas são evidentemente de dois tipos – a espiritual e a material.  Elas podem ser reduzidas a uma, ou são, na sua essência, inteiramente distintas?  Descartes tinha a última opinião.  Espinoza sustentava a primeira.  Disto resultou sua crença na unidade original do pensamento e da substância extendida; de Deus como pensamento e da substância extensão.  Malebranche gostaria de manter o nível cartesiano, que elas eram substâncias distintas, e, ao mesmo tempo, remover o dualismo cartesiano.  Ele fez isto supondo que elas se distinguiriam em si mesmas, ainda achando-se unidas em Deus.  Como todas as coisas existem espiritualmente e idealmente na mente divina, Deus é, como foi, o maior significado entre o Eu e o mundo externo – “Nós vemos todas as coisas em Deus.” Malebranche, como um cartesiano, começou com o pensamento.  Nós somos algo que pensa; nós temos ideias. Como nós temos essas ideias? Algumas são imediatas, mas outras são ideias de coisas materiais.  As últimas nos podemos ter também vindas dos objetos em si próprios, vindas da alma que tem o poder de produzi-las, ou vindas de Deus que as produz em nós, que ele tem feito, também na criação, ou podem vir todo o tempo que nós pensamos em qualquer objeto; ou nós podemos conceber a alma como tendo em si mesma todas as perfeições com as quais nós descobrimos nos objetos externos, ou por último, como unidades com um Ser todo-perfeito, que compreende em si mesmo todas as perfeições dos seres criados.  Malebranche examina cada um destes cinco caminhos de entendimento dos objetos externos, para achar objeções a todos, com exceção do último. Seus argumentos para isto estão baseados nas doutrinas das ideias neoplatônicas.  “É absolutamente necessário”,  ele diz,  “para Deus ter em si mesmo todas as ideias de tudo o que os seres que ele criou tem, desde que todavia ele não poderia as ter produzido, e ele vê todas elas considerando-as todas da sua perfeição com a qual elas foram relatadas.” Deus e a alma humana são supostamente tão unidas que Deus pode ser chamado de o “lugar” das almas, como extensão do lugar dos corpos.  Espinoza não poderia ter expressado isto tão bem, nem poderia ter quisto isto expresso melhor.  O atributo principal do corpóreo é a extensão.  Nele os corpos têm seu ser e essência. E como os corpos são constituídos em extensão, como são almas constituídas em Deus.  “É a palavra divina sozinha que nos ilumina pelas ideias que estão nele, para as quais não há duas ou mais sabedorias, duas ou mais razões universais.  A verdade é imutável, necessária, eterna; o mesmo em tempo e em eternidade, o mesmo no céu e no inferno.  A palavra eterna fala a mesma linguagem para todas as nações.” Esse falarem nós da razão universal é a revelação verdadeira de Deus.  É a única maneira de nós possuirmos algum conhecimento das coisas externas.  “Ver o mundo inteligível, é o bastante para consultar a razão que contem essas ideias, ou essas essências inteligíveis, eternas e necessárias com as quais se faz todas as mentes razoáveis e unidas à razão.  Mas para ver o mundo material, ou ainda para determinar que esse mundo existe – porque esse mundo é invisível em sim mesmo – é necessário que Deus deva revelar isto a nós, porque não podemos perceber seus arranjos em que sua escolha nessa razão foi necessária.”
As ideias das coisas materiais nós vemos em Deus, mas as coisas espirituais nós vemos imediatamente em Deus sem o intermédio das ideias.  No espiritual, interno ou ideal mundo nós estamos face a face com a verdade e a razão.  Lá nós vemos não ideias, mas realidades.  Lá nós conhecemos o infinito, não através da ideia dele, mas imediatamente e através dele que nós temos nosso conhecimento de todas as coisas finitas.  Nele o material existe espiritualmente. Antes o mundo foi criado por Deus e sozinho existia.  Para produzir o mundo ele deve ter tido ideias do mundo e tudo que é nisto.  E essas ideias devem ter sido idênticas em si mesmas aos objetos externos.  Deus eternamente sustenta sua ideias.  Essa é a sua conversão com a palavra eterna.  Isto é Deus como Ser, dando a si mesmo Deus, como pensamento – o Pai dando todas as coisas ao Filho.  A palavra divina brilha em suas almas.  Por ela nós vemos me Deus algumas das ideias em si mesmas, mas um espírito criado que não é visto em todas as coisas em si mesmas, porque ela não contem todas as coisas em si mesmas.  Isto vê nelas em Deus, nas quais elas existem.  Quando, por ocasião, nós vemos um quadrado, nós não vemos meramente a ideia mental em nós, mas o quadrado em si mesmo, que é externo a nós.  Deus em si mesmo é a causa imediata da sua visão divina.  Ele nos instrui no seu conhecimento com a naturalidade com a qual os homens ingratos a chamam de natureza.  Ele mostra isto em nós.  Ele é a luz do mundo e o pai da luz e do conhecimento.  Santo Agostinho diz que “nós vemos Deus na vida pelo conhecimento que nós temos das eternas verdades. Verdade é incriada, imutável, eterna, sobre todas as coisas.  Ela é verdade em si mesma.  Ela faz as criaturas mais perfeitas; e todos os espíritos naturalmente vêm para conhecê-la.  Nada a não ser Deus pode ter a perfeição da verdade; embora, a verdade seja Deus. Quando nós vemos algumas verdades eternas e imutáveis, nós vemos Deus.”  Depois de citar Santo Agostinho, Malebranche acrescenta, “Essas são as razões de Santo Agostinho, as nossas diferem um pouco delas. Nós vemos Deus quando nós vemos as verdades eternas, não que elas sejam Deus, mas porque as ideias com as quais essas verdades dependem estão em Deus – talvez Agostinho conceba o mesmo significado nelas”  Começando do pensamento, Malebranche, como Descartes e Espinoza, encontrou a ideia de infinito como a primeira e a mais clara das nossas ideias.  “Isto”, ele disse, “é a melhor, a mais bonita, a mais exaltada, a mais audível prova da existência de Deus.”  Essa é a ideia do Ser universal, que inclui em si mesma todos os seres.  A mente humana pode conhecer o infinito, embora não possa compreendê-lo.  Nós concebemos primeiro o infinito e então nós restringimos a ideia para fazê-la finita, não embora, que essa ideia represente o infinito Ser, tão  longe quanto possa, essa ideia representa algo determinado, mas através da nossa visão podem as trevas serem finitas, nós possamos ver e conhecer Deus como infinito.  Ele é idêntico ao Ser universal.  Nós chamamos ele de Espírito, mas isto não declara o que ele é, mas o que ele não é.  Ele não é matéria.  Ele está muito além do espírito, como o espírito está além da matéria.  O amis alto atributo que nós podemos conhecer disto pode pertencer ao ser que é pensamento ou mente, e embora nós chamemos Deus de Espírito, ele é o Ser perfeito infinitamente.  Como nós demos a ele um corpo humano, devemos dar a ele pensamentos humanos.  Sua mente não é como a nossa. Podemos comparar com a nossa porque a mente é o mais perfeito atributo com o qual nós conhecemos qualquer coisa.  Como ele inclui a si mesmo nas perfeições do Espírito sem ser como um espírito, como nós concebemos espíritos seu nome é AQUELE QUE É.  Ele é o ser sem limitação; todos os seres; sendo infinitos e universais.  E como nós temos essa ideia distinta de Deus como ser, nós temos outra ideia de extensão.  É impossível fazer face à ideia das nossas mentes, para que a extensão infinita pertença ao ser, ou, ao menos, as nossas ideias de ser.  Malebranche não faz da extensão um dos atributos de Deus, mas outorga que tenha feito, depois do que ele tem dito do ser e da extensão.  Ele mantem que a ideia de extensão é eterna e imutável; comum a todas as mentes, a anjos – sim, a Deus, ele próprio – que é o ser verdadeiro e idêntico à matéria. Nós não precisamos projetar quaisquer inferências das doutrinas de Malebranche.  É suficiente presentemente mostrar o paralelismo entre suas visões em Deus, ser, espírito e matéria, com as de Espinoza. Como nossas almas estão unidas a Deus,  e vemos todas as coisas em Deus, nossos corpos têm esta essência em extensão.  Entre as substâncias, matéria e espírito, não há necessária relação.  As modalidades do nosso corpo não podem ser nossas próprias forças a forçarem essa mudança da mente e, ainda, as modalidades do cérebro estão uniformemente em conexão com os sentimentos das nossas almas, porque o Autor do nosso ser tem determinado isto.
E essa ação imediata de Deus não é limitada a mente do homem.  Ela é a mesma em toda natureza.  Deus não tem dado a sua criação, causas secundárias; o que nós chamamos assim, são nada mais, nada menos do que ocasiões para Deus, que é a causa universal, executar seus decretos como ele expressa em vontade que devem ser executados.  É verdade que as Escrituras em alguns lugares descrevem eventos com causas secundárias, como no livro de Gênese, quando é dito: “E a terra foi feita”; mas isso é dito impropriamente.  Na maior parte das Escrituras Deus fala como ator imediato.  Ele comanda as crianças de Israel para honrar a ele como a única causa, tanto do bem quanto do mal, recompensa e punição. “Há algum mal na cidade?” diz o profeta Amós, “e o Senhor não o fez?”  Os trabalhos da natureza são trabalhos imediatos de Deus.  Ele forma todas as coisas.  Ele deu vida e soprou vida em todas as coisas.  Ele causou a grama crescer da terra e a herva para servir o ao homem, que pode trazer comida da terra. Deus nunca deixou seu mundo.  Ele está presente nele agora assim como no primeiro momento da criação – de fato, a criação nunca cessa.  A mesma vontade, o mesmo poder, e  a mesma presença que requeriu a criação do mundo, é requerida a todos momento para preservá-lo.  O que nós chamamos de leis da natureza são nada mais do que expressões da vontade de Deus.  Ele trabalha por leis, mas o trabalho não é, todavia, menos imediato ou menos dependente da sua vontade e poder.
Malebranche nos lembra Espinoza quando ele discursa sobre suas paixões.  A mente humana tem duas relações essencialmente diferentes – uma de Deus, e a outra do corpo.  Isto não é uma comparação sem sentido, como nós poderíamos concluir do que tem sido dito do nosso ver todas as coisas em Deus.  A união da alma com Deus não é menos do que a união da alma com o corpo.  Por essa união com a divina palavra, sabedoria ou verdade, nós temos a faculdade do pensamento.  Por nossa união com o material, nós temos as percepções dos sentidos.  Quando o corpo é a causa dos nossos pensamentos nós apenas imaginamos; mas quando a alma age por si mesmo, em outras palavras, quando Deus age nisto, nós entendemos.  As paixões não são em si mesmas más.  Elas são as impressões do Autor da natureza que inclina a nós o amor ao corpo e a qualquer coisa que seja útil para a sua preservação.  Enquanto nossa união com o corpo seja uma punição pelo pecado, ou um presente da natureza, nós não podemos determinar. Mas nós estamos certos disto, que antes do seu pecado o homem não foi um escravo das suas paixões.,  Ele tinha uma maestria sobre elas.  Mas agora a natureza está corrompida.  O corpo, ao contrário da representação que ele quer da alma, age com violência, vem como tirano e transforma isto do amor e do serviço de Deus.  Redenção não pode ser nada mais do que uma restauração do homem à dominação da alma sobre o corpo, para isto tem Deus reinado entre ele.
Mas essa questão das paixões envolve um a inquirição a mais – o que é o pecado? Se Deus trabalha em qualquer coisa que é real nas emoções da mente, e no que é real nas sensações das paixões, é ele o Autor do pecado?  Malebranche dá uma velha resposta, ao colocar que o pecado não é nada real.  Deus continuamente impele o homem ao bem, mas o  homem para, ele espera; esse é o seu pecado. Ele não segue a liderança de Deus, ele não faz nada e esse nada é pecado.  Se seguíssemos Malebranche simplesmente como um filósofo, como poderíamos vê-lo como um padre da igreja católica apostólica romana, reconciliando  suas especulações com as Escrituras, e os decretos dessas reconciliações?  Ele não tenta os reconciliar ou se ele o fez foi apenas parcialmente.  Onde a igreja não falou que a razão é livre, mas como ela prescreve, quaisquer que fossem as nossas conclusões da razão, nós tivemos que submeter às decisões da igreja. Nós não temos evidência da existência de um mundo externo, mas nós recebemos da autoridade da igreja.  Nossa razão não pode ser confiada nos mistérios da fé.  Eles estão além dos limites das nossas faculdades. A encarnação, a Trindade, a transformação do pão e vinho na Eucaristia no corpo e sangue reais de Cristo, quem pode entender?  É bem um exercício da nossa razão que subjaz questões pressupondo que possam ser tomadas não há razão para que o autor de todas as heresias deva à igreja?  Ainda Malebranche usou sua razão, para depois todo homem não possa ajudar usando sua razão, até sendo ele um padre na igreja católica apostólica romana.  Malebranche tinha uma grande teoria – proveitosa como a de Jacob Boehme – de que todas as coisas foram feitas para a igreja redimida.  Esse mundo é finito e imperfeito, mas em Jesus Cristo ele se torna perfeito, e de infinito valor.  Jesus Cristo é o começo de todos os caminhos de Deus – o primeiro nascido entre os muitos que tiveram o sopro divino.  Deus ama o mundo apenas por causa de Jesus Cristo.  Até Deus ter tido essa vontade, o pecado não existia no mundo e, ainda, Cristo, a eterna palavra, deveria se unir ao universo e fez isto proveitosamente em Deus.  Cristo teve um interesse no homem, independente tanto do pecado quanto da redenção.  Deus vislumbrou antecipadamente a existência do pecado.  Ele decretou dar a Jesus Cristo um corpo para ser vítima com a qual ele iria oferecer para o necessário de que todo padre precisaria oferecer.  Deus através do corpo do seu Filho assim como quando formado que foi Adão, deu a todos um corpo que nós vamos sacrificar, como Cristo sacrificou seu corpo.
 
Livre tradução do livro Pantheism and Christianity de John Hunt . 1884 . Capítulo XII . Moderno Idealismo . Malebranche
 
Visite o site Panteísmo e Cristandade com todos os textos traduzidos: https://sites.google.com/site/pantheismandchristianity/
 
14/08/18 16:32 - Gisele Leite
Congresso da ABRADE RJ

basta somente acessar o link http://www.abrade.org.br/I_Congresso_RJ.htm 


 
 
Rio de Janeiro
 14 de setembro de 2018

 
O Direito Educacional e a Inclusão Social
 
 
Rio de Janeiro
 14 de setembro de 2018
Objetivos
a) Divulgar o Direito Educacional e as relações da educação com o direito e os demais ramos do conhecimento;
 
b) proporcionar aos profissionais do direito e da educação, estudiosos e pesquisadores do direito à educação, ainda para aqueles que lidam com a legislação de ensino, uma formação continuada juspedagógica.
 
c) promover a inclusão social pela educação, incentivando o debate e o estudo das interfaces do direito à educação com os demais ramos do conhecimento.
 
d) Contribuir com o poder público na redução das desigualdades sociais, incentivando políticas públicas e inclusão na educação.
Público - alvo
O Congresso Estadual de Direito Educacional destina-se aos profissionais da área jurídica, educacional, professores, pesquisadores, estudiosos dos diferentes ramos do conhecimento, estudantes, diretores, gestores educacionais e diretores e coordenadores de faculdades, os que atual ou pretendem atuar como especialista do Direito Educacional.
Local
 
INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS
Salão Nobre da IAB.
Avenida Marechal Câmara, 210 - 5° andar
Centro - Rio de Janeiro
 
14/08/18 16:23 - Buon Giorno
Mensagens para Nossa vida!!! Venha ler e encontrar algo novo para acrescentar em sua vida.Escolha a sua!!!




ENCONTRO COM DEUSMensagens 
O Homem ApaixonadoPoesias >
FELICIDADE TOTALPensamentos
Encontrando a FelicidadeMensagens >
As RosasPoesias >
Não Se Entregue A Tristeza Viva Feliz...Mensagens >
Vida Eterna!!!Mensagens
SEGUIR EM FRENTEPensamentos
Fogo da PaixãoPoesias > 
 
14/08/18 14:33 - ROBERTO BARROS XXI
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Cotidiano08/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas07/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas07/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas07/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Poesias > Reflexão06/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Mensagens05/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Mensagens05/08/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Amor31/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos30/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Fábulas30/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Fábulas30/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Amor28/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos27/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos27/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos27/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Frases13/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Crônicas13/07/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Humor30/05/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Aventura28/05/18
 
ROBERTO BARROS XXI
Contos > Causos28/05/18
14/08/18 10:26 - Ary Carlos Moura Cardoso
AMOR...
Amor é estado de Lucidez,
Ele vem da Graça de Deus,
Não é um simples "te amo".

                                       Amor  não é dédalo ridículo,
                                       Nada com "amar por amar",
                                       Jamais vivências hedonísticas.



Nota: O poemeto prossegue em meu modesto espaço.
14/08/18 10:13 - Thiago Oliveira
mail Olá, meus amigos escritores.
Quero convidar-lhes a ler minha produção: CARTEIRO, NÃO LEVE! 
Sejam bem vindos em meu catinho de pensamentos e fiquem a vontade.
Desde já lhes agradeço. 
Abraços.
14/08/18 09:58 - Uma Mulher Um Poema

APRESENTO-LHES A MINHA PUBLICAÇÃO DE HOJE!!!
AMIZADE.
FELIZ TERÇA-FEIRA A TODOS!!!
14/08/18 08:35 - Vitor Pereira Jr
Olá, amigos literários!
 
Chegaram novos textos no RECANTO!
 
Resenha do filme “Donnie Darko”
https://www.recantodasletras.com.br/resenhasdefilmes/6246651
 
Resenha do filme “Logan”
https://www.recantodasletras.com.br/resenhasdefilmes/5936221
 
Poesias
https://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=5812&categoria=7
 
Haikais
https://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=5812&categoria=T
 
Frases
https://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=5812&categoria=H
 
Crônicas
https://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=5812&categoria=B
 
 
E para trocarmos ideias sobre este fantástico e maravilhoso mundo da literatura, vamos dividir experiências!

Convido vocês para conhecerem meu site:
http://www.vitorpereirajr.prosaeverso.net/

Meu twitter:
https://twitter.com/vitorppj

Abraços!

Vitor Pereira Jr.
 
 
 
14/08/18 01:48 - Tamara Falcomer
Que meus braços sejam teu Porto Seguro
que seus lábios sejam meu paraiso 
que a convivência esteja à nosso favor
que a lua ilumine nossas aventuras.
14/08/18 00:06 - Laise Ramos
Para o dia de hoje, uma homenagem.
Vale conferir!!!

BOA LEITURA!!!
13/08/18 22:14 - Francisco de Assis Góis
Natureza do vento
Segundo Mario Quintana, “o que mais enfurece o vento,
São inveterados poetas, que o fazem rimar com lamento”.
Para mim, ele sempre será, o meu hino de liberdade;
Talvez um dia se torne até, meu canto de saudade;
Poderá tornar-se até, motivo de grande tormento;
No entanto não consigo... rimar vento com lamento.

 
Francisco de Assis Góis
 
13/08/18 19:08 - JUNIOR CAMPOS
13/08/18 17:14 - Andréa Carvalho
50 Dias Letivos
(Disponível em e-book no site da Amazon)
 
     Compõe-se de 50 crônicas produzidas durante os cinco anos de exercício de uma professora de escolas públicas da cidade do Rio de Janeiro. Nesse recorte, o leitor mergulha na realidade da educação brasileira por meio de histórias que tratam de temas como a falta de recursos, bullying, gravidez na adolescência, tráfico, negligência da família e demais situações por que passam os profissionais do magistério da atualidade.
     A fim de chamar a atenção para a foma como está se conduzindo o processo de formação de cidadãos da sociedade futura, a obra é uma amostra do que acontece entre os muros da escola. Um trabalho de interesse público, compilado de forma a produzir uma leitura impactante por sua alta dose de veracidade. Nela, a autora compartilha um pouco da adrenalina de uma sala de aula que os teóricos da educação certamente não frequentaram e mostra, por meio de histórias divertidas, trágicas e emocionantes, algumas lições aprendidas por alguém que testemunhou os rumos do ensino no Brasil do século XXI.
     
 
13/08/18 15:24 - José Pedreira da Cruz
    VEJA  UMA LINDA HISTÓRIA DE COMO SER PAI

            https://www.recantodasletras.com.br/cronicas/6417988
 
                      Agradeço sua visita
13/08/18 15:11 - AnnaLuciaGadelha
poereja.jpg
13/08/18 14:58 - Silvino Potêncio

As “Rimas” do meu versejar,
Vão à  procura dos seus iguais,
Voam em sons de fantazias para se acertar,
Com harmonia e sincronia do meu pensar.
Porque…Rimar é dar harmonia,
Dar ao som as palavras que um dia,
As escrevemos com amor e nostalgia,
De um certo momento fugaz,
- O de satisfazer o ego e a Alma
Deste poeta primaz,
--- que vive dentro de nós.
Mas há muito ficou pra trás!...
(in: "POESIAS SOLTAS" De: Silvino Potêncio) 

 
13/08/18 10:11 - Amontesferr
AMARGURA

As falas dos requerentes
governantes para o povo,
... Todavia , são firulas

e o resultado dessa firula
são as lagrimas de fome...
E amargura das criaturas.

Antonio Montes

13/08/18 09:44 - Uma Mulher Um Poema

BOM DIA, CAROS AMIGOS,
APRESENTO-LHES AS MINHAS PUBLICAÇÕES RECENTES!

INSANOS DESEJOS.
ALDRAVIA - BONDADE.
ABRAÇO FRATERNO!
13/08/18 09:22 - João Carlos Hey
13/08/18 08:52 - MS Odédemim
Hoje então eu sonhei😴
que o mundo era só amor🌎❤
Os homens não guerreavam🗡⚔
E nos campos muitas flores🌸🌻🌼🌺🥀🌹🌷

Os passarinhos cantavam🕊🎼
Uma linda canção🎹🎷🎺🎻
Você em meus braços estava🙏😇🙏
Tão cheia de paixão😍😍

O mundo tão colorido🌏
Com arco iris no céu🌍🌈🌈
É a Bonanza que chegou🌨💥
E o amor pintando com seu pincel🎨💚
by MS.Odédemim
08:39 13/08/2018
13/08/18 08:14 - Vitor Pereira Jr
 
Olá, pessoal!
 
“Um texto sem as vogais  A, I, O e U”
 
http://www.vitorpereirajr.prosaeverso.net/blog.php
 
Boas leituras!
 
Vitor Pereira Jr.

 


Esta página é atualizada a cada 5 minutos
Última atualização em 16/08/18 16:48