Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Campo de centeio





                    Campo de centeio


     O verso transige ,o corpo transige,a poesia se faz nua!
     Pego remo e no rio desço,e emudeço e mais desço,
     E me vejo outorgando o esquife pra margem de lá e lá deixo!
     Da descida só a fome de suar-te,e dar-me de beber teu corpo!

     Nessas coisas de amar cabe nada,nem mais que abraço sobeja,
     De tanto de extraordinário te ver,do que antes cabia numa carta,
     Hoje aparador fica mudo nos seus retratos e vazios de calor!
     Alguns abraços dantes abrasados,ora deixados,pedia notícia postal!

     Hoje a unir-nos,nos aparatamos do escuro e o dividimos ou o
     Sentenciamos,como centelha de Deus;Aquele tempo de antes
     Se rendeu,trincando a alma nas coisas,nos lagares tão nossos!
     
      Cadê?! Outono já veio,vem vindima e odres de vinho,cântaros?!
      O verso transige,sonetos transigem,mas estrelas evidenciam
      Uma viajem em pomares de romãs e amendoeiras,vale vida!!



MaisaSilva
Enviado por MaisaSilva em 26/04/2019
Código do texto: T6632594
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
MaisaSilva
Itumbiara - Goiás - Brasil, 47 anos
757 textos (16791 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/05/19 17:49)
MaisaSilva