Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Em sua Homenagem

Retirei o tapa-ouvidos noturnos;
Pois preciso cutucar as feridas da loucura que só aparecem com os rumores do dia;
Com o marulhamento do mar;
Com o silêncio da Floresta;
Com a súplica da Natureza;
Com o borbulhar da chaleira requentando o café;
Com ácidos corroendo as vísceras ulceradas pelas gorduras;
Com os anéis de fumaça dos cigarros pitados;
Com o arsenal de remédios tarja preta não tomados;
Com o orvalho gotejado pela folhagem;
Com o mugido da vaca mansa;
Com o errado sendo a resolução correta da sentença matemática;
Com o coração implorando perdão à adaga que o punhalou;
Com os vermes esperando pelo resfriamento do sangue do esquife;
Com a flor heliotrópia que procura o sol em dias nublados;
Com o rugido feroz e rascante dos felinos, prestes a devorar a presa;
Com a mansidão resignada dos mortos;
Com a paz reinante nos cemitérios;
Com o hospício, denominado "Fuzilando Essências".

         Mansa ou atroz, a algoz loucura caminha ao meu lado,
Com passos curtos ou apressados,
E não sei em qual esquina ela vai me beijar.

                    Um ataque psicótico é amenizado, só cicatriza, com outro ataque psicótico de maior intensidade.


O que seria da inspiração, se não houvesse a poesia?

O que seria da poesia, se não houvesse a Natureza?

O que seria da Natureza, se não houvesse a inspiração?









Mutável Gambiarreiro
Enviado por Mutável Gambiarreiro em 03/09/2019
Reeditado em 08/09/2019
Código do texto: T6736012
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Mutável Gambiarreiro
Jegue é - Tovuz - Azerbaijão
2832 textos (65058 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/20 00:56)
Mutável Gambiarreiro