Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Outros verbos e gerúndios

...Eu poderia estar
Assaltando
Bebendo
Cheirando
Corrompendo
Estuprando
Extorquindo
Fumando
Furtando
Matando
Mendigando
Prostituindo
Roubando
Sequestrando
Traficando
Vagabundeando...

O vocabulário da vida, seus morcegos e reveses
Têm nos dado fúrias, doces, mágoas, dores, fezes
Quem perdeu tudo que tinha a perder
Quer agora o verbo que nunca teve

Eu poderia estar
Nos lugares comuns que a ordem estabelece
E quartéis em peso feito gado cego obedece
“Ontem fui bom escravo, hoje sou mau cidadão”

Como sou um soul star
Vindo ao mundo para ir além
Com todos os meus sentidos saudáveis
Malungo moleque menino erê
Com muita sede
Com muita fome
Montado “nos ombros de gigantes”
Prefiro outros gerúndios
Prefiro outras escalas
Prefiro outros aromas e perfumes
Para tocar sentimentos
Para mexer com emoções
Para transcender percepções

Quero palcos, palmas, platéias, partituras, ovações
Com claves de fá e de sol em acorde perfeito maior
Pela música sou movido em tons e sons
Ela é a minha overdose
Ela é o meu delito
Ela é o meu fogo
Ela é a minha salvação

Ela me vibra de amores, paixões, febres
Com ela encontro meus santos
Com ela sossego meus demônios
Por ela faço despachos e oferendas
Pra ela teço fotos, vídeos, votos, rezas, orações

Sem barreiras, sem fronteiras
Música é céu, sol, mar, vento, ar
Ela leva ao Apollo
Leva a Bahia
Leva a Meca
Leva a Palmares
Leva a Praça do Forró
Leva a Cidade Tiradentes
Leva a Casa do Hip Hop
Leva a Rua do Samba
Leva a Praça do Choro
Leva a Comunidade do Rosário
Leva as Rodas de Jongo
Leva aos Blocos de Maracatu
Leva as Cantigas de Moçambique
Leva a Sala São Paulo
Leva a Woodstock
Leva a Montreaux
Leva ao Vaticano
Leva ao Vale dos Orixás
Leva aonde almejarmos ir

Até quem está no albergue
Até quem está no asilo
Até quem está no exílio
Até quem está no hospício
Até quem está no hospital
Até quem está na igreja
Até quem está no orfanato
Até quem está no templo
Até quem está no terreiro
Até quem está na prisão
Até quem está no chão
Ouve a música do seu coração

Se tiver uma gata
Afável afiada afinada
Amante ou amiga
Nessa caminhada de cenas, cores e ritmos
Ótimo, legal, massa, dez
Amarei, cantarei, dançarei, versarei
Se não tiver
Se não quiser
Se não puder
A amada melodia
Cheia de energia
Com alegria
Nas nuances da sua poesia
É sempre tão boa musa e companhia...

Oubí Inaê Kibuko, Sala São Paulo, Concertos OSESP, 17-08-2017.
Publicado com imagem no Cabeças Falantes: http://tamboresfalantes.blogspot.com/2017/08/outros-verbos-e-gerundios-poema-de-oubi.html
OUBÍ INAÊ KIBUKO
Enviado por OUBÍ INAÊ KIBUKO em 20/08/2017
Reeditado em 21/08/2017
Código do texto: T6089210
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (©Oubí Inaê Kibuko). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
OUBÍ INAÊ KIBUKO
São Paulo - São Paulo - Brasil, 63 anos
105 textos (87531 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/19 14:47)
OUBÍ INAÊ KIBUKO