Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eis a sina do poeta 
Sonâmbulo pela madrugada 
Quando já não mais é noite 
Mas também ainda não é dia ...

Fantasmas se esgueiram pelos cômodos 
Corvos se dependeram pelas cumieiras 
Pensamentos invadem a mente quase insana 
Numa agonia de sentidos 
Em sentidos completos de vazios e solidão 
...É quando o poema se torna feroz! 
Vocifera suas verdades sem meias palavras 
Despe a alma do poeta sem melindres 
Sem falsas vergonhas 
Ou pudores descabidos 
Expondo a cerne nua 
Rasgando a carne crua 
E já não se pertence 
Nada lhe cabe 
Tudo agora é o mundo do verso 
...Intrínseco, abismal, egoísta verso!

E o verso é o universo em translação 
É a verdade delatando a alma 
Balbúrdia alucinada 
Pois enquanto a poesia não é parida 
Confronta se a guerra renhida 
Uma lágrima por um verbo 
Um poema por uma vida. ..

Eis a madrugada do poeta 
Entregue 
Inerte 
Ante à sua sina!
Elisa Salles ( Elisa Flor)
Enviado por Elisa Salles ( Elisa Flor) em 14/08/2019
Código do texto: T6720113
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Elisa Salles ( Elisa Flor)
Serra - Espírito Santo - Brasil, 45 anos
748 textos (6253 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/19 10:22)
Elisa Salles ( Elisa Flor)