Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Esporro do Corona

          Na última laive, ( isso mesmo, sou 1 desastre ( não é Sartre) em inglês) trocando informações, um agrupamento de pessoas de um lado e o outro, sabe-se lá onde, os Cientistas interpelaram o vírus, querendo saber qual é o seu perfil e como encontrá-lo nas redes sociais, ao que ouviram como resposta:
- que eu saiba, sou acelular; o resto desconheço. Sobre esse tal de perfil e rede social que todos esmeram em tê-los, não sei o que é; e nem interesso-me saber. Parem de ser curiosos, bisbilhoteiros. Em algum momento quis saber quem são vocês. Vocês são covardes: uns brutamontes de homens, contra um ínfimo ser! Finalizando essa mixórdia, não tenho interesse nenhum em ficar me expondo; mesmo porque, se assim o fizer, certamente serei assassinado. Gente não é confiável. Deixe-me em paz; vai cuidar da vida de vocês, sabichões!
      Da tela subiu um fumacê. Após terminado, um chuvisqueiro, tal qual Tv de tubo quando sai do ar. Alguém resmungou:
- difícil puxar a boca desse sujeito, asqueroso. Não morde a isca de jeito, maneira. Continuar tentando, quem sabe pegamos ele em um momento de distração.
- mal educado. Sempre deixa a gente falando soxinho. - esbravejou o outro.

P.S.: demorou séculos e séculos para descobrirem que o mal emana do que sai da boca do homem.
Mutável Gambiarreiro
Enviado por Mutável Gambiarreiro em 27/04/2020
Reeditado em 27/04/2020
Código do texto: T6929810
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Mutável Gambiarreiro
Jegue é - Tovuz - Azerbaijão
2833 textos (65082 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/20 14:57)
Mutável Gambiarreiro