Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Música e Modernidade

Sabe? A música que eu gosto é ultrapassada e fora de moda. Mas é inteligente, dessas em que o sábio do compositor e o letrista passavam meses para compô-las, e o cantor estudava as melhores formas de interpretá-las, pois sabia que seu público era exigente e não engoliria qualquer vômito por seus ouvidos. Aliás, hoje não há nada mais ultrapassado do que a inteligência humana.

Outro defeito meu é ser discreto. Quando estou no meu carro, só ouço a minha música preferida em tom baixo. Além disso, se estou no ônibus, uso meu aparelho sonoro com fone de ouvido, que é para não incomodar os demais usuários do ônibus, da rua, do mundo. É que para mim, não importa mostrar meu pretenso bom gosto musical e nem quantos neurônios eu ainda tenho em minha memória já fora de moda.

Mas eu sei que estou completamente errado. Sei que essa minha persistência em cultivar a inteligência humana, diversificar, respeitar o próximo e não cuspir mediocridade na cara e nos ouvidos alheios já é coisa do passado, uma atitude sem importância. A onda agora é muito mais alta, faz sucesso e todo mundo gosta.

O que é música? Meu som preferido não precisa ser música e sim um belo ruído. Então que seja penetrante, bem alto e estridente, com uma só frase, repetitiva, apelativa, medíocre. Em suma, a letra tem que ser “engraçada”, em som ambiente, para que todos possam ouvir. Pois, só assim, todos poderão medi-la a qualquer hora, do dia ou da noite. Logo saberão o quanto sou interessante e como meu som é da hora! Uma vez e outra, alguém poderia até não gostar, mas não vai dizer nada, pois reclamar sobre seus direitos já seria estar fora de moda.

Ninguém vai atrever-se a isso. As pessoas geralmente têm medo de serem chatas ou deselegantes. Além de tudo, se alguém se sentir ofendido e criticar a minha falta de bom senso, eu, definitivamente, não me importo. Afinal, ser inteligente, educado e respeitar os direitos e os limites do próximo não vale mais nada. Isso tudo é coisa das antigas, e não me interessa ser antigo. Eu quero mais é ser moderno. E a modernidade é isso!
Francisco Marques Poeta
Enviado por Francisco Marques Poeta em 01/08/2019
Reeditado em 01/08/2019
Código do texto: T6709948
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Marques Poeta
Pirapozinho - São Paulo - Brasil
91 textos (1213 leituras)
1 áudios (39 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/19 22:02)
Francisco Marques Poeta

Site do Escritor