Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cada Frase, 1 Lição

            Dizem que sou um cara seco, esquisito de atitudes, não dou voz para vizinhos, e incluíndo os familiares, desprezo os amigos. Quando ouço tais coisas, prefiro o silêncio do meu canto, a atacar o falante e acusador.
         Contudo, vai o meu protesto, que quando estou lavando os pratos e banheiro, limpando e pintando a casa, passando as roupas, amassando a massa, podando o jardim, buscando lenha para aquecer a saúna, limpando a piscina, não aparece um, apenas um dos críticos para ajudar-me. Diante desta condicionante, muito ajuda quem não atrapalha; ou antes só, que bem acompanhado pelos indolentes e preguiçosos linguarudos.

   A minha maior, dentre as enormes besteiras que  me aconteceram no decorrer de minha existência terrena, foi administrar inteligência. Gente inteligente, é pior que jegue chucro indomável; e se coiceia até a mãe, imagina o que é capaz de fazer contra mim!

         O que esperar, qual é o futuro de um país em que o salário mínimo são 260 dólares e 1 kg de carne custa a bagatela de 10 dólares; e cujo povo é formado por resto de guerra, escravos, degredados, cansado, endividado e altamente consumista?
           Vamos responda; porque se o leitor não é mais 1 que está usurpando, certamente é usurpado pelo sistema, tanto social, quanto político, humano.
   
                    Como pintor, a cor dei: as paredes, os corpos, as estradas e campinas, os animais, o céu de diamantes, o ouro nas barrocas, a vida.
     Nas telas: jardins, estrelas, arrebóis, luares, taperas, arco íris, açudes, girassóis, em todas elas.
             Terminada a gravura. Retiro, lavo, seco guardo os utensílios de pintar. Por um tempo, arquivo os sonhos, cujo intuito é sossegar os neurônios, deixar cair as palpébras de cima sobre às de baixo e voltar dormir para daqui à pouco a cor dar o mundo; pois com cores vívidas e atraentes, está precisando ser despertado de suas cores pálidas, esquálidas e opacas.
       E embora não seja mais primavera e o sol brilhará, radiante em novo verão, para o deleite de quem aprecia as cores, as flores, pássaros, folhas e frutos, continuarão existindo.



 
Mutável Gambiarreiro
Enviado por Mutável Gambiarreiro em 21/12/2019
Reeditado em 21/12/2019
Código do texto: T6823682
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Mutável Gambiarreiro
Jegue é - Tovuz - Azerbaijão
2833 textos (65082 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/20 13:18)
Mutável Gambiarreiro