Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Existe um mundo invisível, sim!... Um mundo sim... Além das lentes dos aparelhos microscópios vivem  milhões de seres, todos com uma classificação racial, formatos e tamanhos, transitam por esses espaços assim como nós terráqueos movimentamos pelas ruas e vielas, voam atacam-se uns e outros, até promovem guerras, tudo isso acontece além de nossos olhos, o universo astral, as constelações, Via Láctea com outros sois e outras luas, tudo isso acontece nesse mundo além das divisas do ilusório, mas na realidade existe. Os cientistas através de seus equipamentos de laboratório visualizam, até fazem conquistas a esses territórios de micro-organismos no momento que descobrem vacinas para combater a invasão ao mundo dos humanoides.
Esses invasores penetram nas mais minúsculas partículas que nos dá a motivação para sobreviver, se apoderam de nossas células, se tornam hospedeiros sobreviventes de nossa vitalidade, caso nos leve a morte é considerada uma batalha vencida é comemorada entre eles, assim como nas batalhas vencidas dos guerreiros Vikings.
Esse mundo invisível não localizado também existem líderes, hereditariedade, oligarquia dizem que até exista um deus que rege esses micro-organismos, esses bichinhos que vivem escondidos de nossa visão nessas comunidades planetárias inferiores as nanotecnologias, estão por aí sobrevivendo em corrente sanguíneas de seres vivos habitantes desse nosso planeta, eles existem além do horizonte, talvez em alguns desses  animais ferozes que vivem nas mais distantes fronteiras de nosso planeta, quem saberá nas geleiras, na imensidão das águas marítimas das maiores profundidade; No bacalhau.
Saindo das águas oceânicas pisando em terra firme, os morcegos quem sabem, nesse sangue todo esse universo de vírus e bactérias que foram adquiridas a dez mil anos passados através de sua cadeia de alimentação em via hereditária chegou até aqui nos tempos atuais, mas porem não se sabem nada sobre a origem e nem como eles chegaram até aqui no nosso planetinha repleto de divindades, lá onde eles residiam, sobrevivia sobre um regime de cativeiro, presos em uma redoma, eu imagino como se fosse um pombal, por exemplo, o mestre maior deles, o deus absolutos que os davam liberdades e escolhiam a dedos quais seriam os aventureiros, abria a porta de sua prisão e assim eles sairiam em voo livre em busca do destino assim como fora incumbidos.
Hoje, nesse dia desse mês de outubro de dois mil dezenove foi lançado aos ares um batalhão desses guerreiros, o mestre da morte; o anjo que habitava nesse ser vivo, não se sabem se animal ou humano sabe que esse mestre maior desses seres microscopicamente quase invisível aos aparelhos de laboratório levantarão decidido, a caixa de pandora será reaberta e os enviados navegarão por esses espaços desse planeta terra, a tempestade está lançada, o mestre maior abriu todos os compartimento.
- nos anos setenta mandei alguns guerreiros da tribo dos Bundiburgyo para implantar o Ebola, matamos poucos homens, também aqueles negros estava a beira da morte, sofriam da fome, bem... Essa é doença deles, eles que se entendam, o Ebola só deu um empurrãozinho, até que conseguimos umas baixas importantes; algumas enfermeiras e quase sucumbimos alguns médicos.
Os anticorpos desses humanoides conseguiram derrotar nossa legião de vírus para o Ebola. (disse um dos mestres desse mundo obscuro existente nessa outra minúscula partícula camuflando-se entre os bens e os maus.)
- Mestre, mestre, estamos prontos para alçar voo, podemos voar ganhar esse mundo.
- sim!.. é pra já, deixe que eles entrarão em contatos conosco, aí nós o atacaremos (disse o mestre com astuta infecciosa)
- já estamos OK disse um dos líderes enquanto o som dessa palavra ecoou por toda a colônia viral.
O grande urso polar foi alvejado por um tiro, os caçadores arrastaram para um lugar mais apropriado para limpar os pelos e retirar suas vísceras, fizeram um fogo e prepararão essa refeição, esses homens foram contaminados pelo Corona, vírus mortal que viviam a  centenas de dezenas de anos nessas águas oceânicas, na cadeia alimentar o urso alimentou-se de um peixe das profundas águas, quando abriram a caixa de pandora essa colônia de vírus foram contaminar o Grande urso branco, que por sua vez contaminou os caçadores, tudo aconteceu conforme o grande mestre desse mundo invisível; deus deles.
Esses caçadores viajarão e se integraram novamente com a civilização e foram deixando um rastro de vírus, tocarão a mão de seus amigos, abraçaram suas esposas e esses seres viventes depois que foram soltos de suas caixas lá no mundo invisível foram infestando nosso mundo aqui fora, algumas pessoas morreram de pneumonia aguda, alguns casos foram acontecendo no planeta, o vírus dos coronas já estavam agindo, mortes já acontecia nas grande capitais de todo o planeta, mas tudo ficou confirmado quando essa infestação chegaram a China, quando esses vírus começaram a fazer muitas vítimas na cidade de Wuhan, rapidamente os cientistas chineses desvendara toda essa novidade dessa nova doença causadora de tantos males, hoje o corona vírus se espalhou por todos os quadrantes do globo terrestre e estão ganhando essa guerra, milhares e milhares de mortes estão acontecendo no redor do mundo. Corona vírus se multiplica como poeira ao vento e contamina com muita facilidade, depois que se aninha em nosso organismo se torna difícil o combate, nas maiorias das vezes levam os órgãos a falência e em seguida a óbito, existe algumas forma de driblar esse vírus, a principal é isolamento, manter um metro e meio de distância, lavar as mãos com produtos fortemente desinfetantes, manter a máscara cobrindo as narinas e boca conforme recomenda os cientistas. O mundo está em pandemia, os leitos dos hospitais estão superlotadas de pacientes, as UTI não estão suportando tantos infectados, os corpos estão expostas as vistas dos maribondos, os coronas vírus estão comemorando suas vitórias e nós precisando enterrar nossos mortos.
O grande mestre dos seres invisíveis dessa vez deu uma tacada de mestre, os dengues, chicungunhas, febre amarela nunca mais serão os mesmos, agora o mundo está em pavoroso, o anjo da morte a mando da corona vírus está recolhendo para ele uma enorme quantidade de humanos sobrevivente nessa terra que um dia irá se dissolver deixando um vazio nesse sistema solar.
De agora em diante precisamos nos preparar, porque outras pandemias estarão para chegar, uma dessas a raça humana poderá se extinguir.
Antherport/28/4/ 2020*  
   
 
         
   
Antonio Portilho
Enviado por Antonio Portilho em 28/04/2020
Reeditado em 29/04/2020
Código do texto: T6931401
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Antonio Portilho
Andradina - São Paulo - Brasil
496 textos (19486 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/09/20 02:59)
Antonio Portilho