Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UMA PEQUENA AJUDA

                         UMA PEQUENA AJUDA             120.219

Em dias recentes circulava pela "Internet" a seguinte questão:
- De que forma o povo brasileiro pode melhorar a escolha de seus representantes?
Sem querer me intrometer, mas já o fazendo, porque a mim não foi dirigida diretamente a pergunta, e considerando o seu lado sério, atrevo-me a dizer meus pontos-de-vista acerca da questão formulada:
Primeiro: Não sou o povo, sou a menor fração do povo, a sua fração unitária.
Segundo: A fração não resolve uma questão, porém auxilia na resolução.
Terceiro: Matematicamente, o todo continua sendo a soma das frações.
Quarto: Respeitadas as complicadas regras e dentre aqueles que se candidataram, a soma das frações tem o poder para selecionar o seu representante.
Quinto: Selecionado o representante, este não pode ser deixado à deriva, ou seja, é necessário que responda ao comando a ele oferecido através do voto. O quer dizer isto?
Sexto: Simplesmente isto quer dizer que, em só um dia, o votante não pode transferir responsabilidades ao representante e esquecer-se.
Sétimo: Ainda, frequentemente, o votante deve lembrar-se de que delegou responsabilidades e, portanto, deve sempre saber quais responsabilidades delegou.
Oitavo: Conhecendo-as, vem, então, a responsabilidade maior do eleitor acompanhar o rumo que seu representante imprime às responsabilidades.
Nono: Com isto, o eleitor tem condições de observar desvios e auxiliar, indicando-lhe a rota para que o representante faça a correção.
Décimo: Aqui, o maior problema: Qual a rota correta?
Décimo-primeiro: Quantas frações a rota correta representa: Uma? O valor igual ao número de votos obtidos pelo representante?
Décimo-segundo: Se a cada fração, ou grupo de frações, equivaler uma rota, instalar-se-á a questão de quantas e quais rotas considerar.
Décimo-terceiro: Decididamente, este momento é o decisivo: estabelecer prioridades.
Décimo-quarto: Regras? Em ordem decrescente: antes, as responsabilidades concernentes à maioria; depois, aquelas que abrangem a minoria.
Décimo-quinto: Exemplo? Arborização em bairro nobre ou água canalizada em bairro pobre?
Décimo-sexto: Decisão difícil? O bairro nobre tem duzentas mansões e no bairro pobre existem dez barracões!
Décimo-sétimo: A decisão é complexa? O sol nasce para todos, mas a sombra é para quem chegar primeiro. Isto parece brincadeira?
Décimo-oitavo:  Não, não é! É visão! Árvores não são comestíveis. Água é vida!
Décimo-nono: É contradição duzentos ser menor que dez?
Vigésimo: Não, não é! É um fato! Os dez vão a seu vereador e cobram-lhe a água projetada enquanto que, dos duzentos, dez vendem mudas de árvores...

Sorocaba, aos doze dias do mês de fevereiro de 2019.

Tito Vernaglia
Enviado por Tito Vernaglia em 12/02/2019
Reeditado em 17/08/2019
Código do texto: T6572838
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Tito Vernaglia
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 70 anos
171 textos (13278 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/08/20 21:23)
Tito Vernaglia