Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A REVOLTA DOS QUATRO ELEMENTOS
 
Hoje, em um pesadelo estranho,
Vi o mundo em outra dimensão,
Vinha dos céus, grande redemoinho,
Com, os quatro elementos em ação.
 
Na frente vinha o vento,
Arrasando tudo pelo caminho,
Não ficava em pé casa e apartamento,
Nem se equilibrava no ar o passarinho.
 
Foi devastando tudo,
Deixando o homem sem nada,
Em mais de um segundo,
Executou sua empreitada.
 
Em seguida veio o fogo
E aproveitou os destroços,
Transformou em cinza logo,
Tudo quanto era troço.
 
Queimava tudo sem distinção,
Plástico, madeira e ferro...
Acabando com toda criação,
Deixando só,  monturo e aterro.
 
Depois foi a vez da água,
Qual veio arrastando tudo...
Não tinha dó ou mágoa,
Na passagem pelo mundo.
 
Aquele que não se afogava,
Era carregado na correnteza,
Nesse dia, já não se tinha certeza,
Quem era material, imaterial ou gente.
 
Depois a terra passou a ingerir vestígios,
Levando tudo a seu interior em ebulição,
Quem resistia virava lavas, resquícios,
Nada escapava de seu afanoso vulcão.
 
Assim foi o fim da terra,
Em um pesadelo vidente,
Não precisou de uma guerra,
Para acabar com essa gente.
 
O rico e o pobre no mesmo fim,
Quem tinha ou não tinha cobre,
A morte não era tão amiga assim,
Nem pecador e santo era nobre.
 
Então, se você ainda quer o bem,
Corra para uma possível salvação,
Esqueça o ódio, nem fira ninguém,
Siga o criador e o bater do coração.
 
Léo Pajeú
Enviado por Léo Pajeú em 22/08/2019
Código do texto: T6726698
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Léo Pajeú
Brazlândia - Distrito Federal - Brasil, 58 anos
971 textos (106765 leituras)
10 áudios (390 audições)
1 e-livros (173 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/19 23:34)
Léo Pajeú

Site do Escritor