Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VELEIRO DO TEMPO
 
Quando assustado segurava a vela,
Enquanto minha avó partia ao além,
Num tempo que não entendia nada,
De tudo, da vida, sonho, era aquém,
O olhar assustado, penumbra e luz,
A morte falando, não fica ninguém.
 
Comecei saber o valor que se tem,
Um ser humano nesse mundo ateu,
Que pregam e falam aos Deuses,
Mas, não sabem a essência do eu,
Cada um ambiciona sua história,
Como se fosse glória ser tudo seu.
 
Hoje vejo, que saber da vida, sonho,
É sobreviver a ganância capitalista,
A morte andando ao lado, parceira,
Carregando almas como conquista,
Essência humana não é conhecida,
Na barbárie cruel dos extremistas.
 
Léo Pajeú
Léo Pajeú
Enviado por Léo Pajeú em 06/06/2019
Código do texto: T6666310
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Léo Pajeú
Brazlândia - Distrito Federal - Brasil, 58 anos
972 textos (109948 leituras)
10 áudios (397 audições)
1 e-livros (182 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/11/19 22:58)
Léo Pajeú

Site do Escritor