Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

JURANDIR MACIEL EM CORDEL

Thiago Alves & Fábio Mozart

TA
Entre os filhos mais ilustres
Que brilham com esplendor
Na terra de Pernambuco
Recife mostra o valor
De Jurandir Maciel
Artista plástico escultor

Este grande embaixador
 Marcou sua trajetória
Desde a década de oitenta
Vem escrevendo a história
Preservando o ambiente
E registrando a memória.

O artista tem vitória
Na sua arte que prima
No projeto sustentável
Buscando a matéria prima
Em metal e alumínio
Projeta esculpe e sublima.

 Sua estética mais sublima
Expressando forma humana
Em Ouro Preto de Olinda
 No meio rural a Zona
Prossegue imortalizando
Os vultos que dele emana.

FM
Na tábua da umburana
No alumínio ou concreto
Ou na rigidez do bronze
Instrumento predileto
O escultor Jurandir
Constrói  um mundo correto

Entalhando base e teto
Nesse impulso estranho
Que alavanca o artista
Empunhando seu gadanho
Revolvendo essa magia
Que vem dos tempos de antanho

Sua arte eu acompanho
E sua inquietude
A natureza das coisas
Transformando amiúde
Revelando a beleza
E valor em amplitude

Com sua magnitude
Na rica arte aplicada
Jurandir constrói acervo
De fama provisionada
Pela originalidade
De harmonia ornada

TA
Pelo Brasil pátria amada
Muitas obras este escultor
Põe a sua assinatura
Como o gradil que é autor
Lá em Porto de Galinhas
“Fundo do Mar” é o feitor.

Da arte o grande mentor
J. Maciel assina
Esculpiu Luiz Gonzaga
A cópia fiel e fina
No bronze o Rei do Baião
Canta Asa Branca divina.

E nesta linha se inclina
Para Alagoas exaltar
Esculpiu Altemar Dutra
Rei do Bolero sem par
Para enaltecer a Música
Expos naquele lugar.

Lá em Maceió está
Na terra dos Marechais
Ele esculpiu Deodoro
Floriano e aliás
Seus painéis em alumínio
Demonstram as formas reais.

FM
Lá bem pertinho do cais
No atelier Benfica
Fez um curso de escultura
Onde então se verifica
O seu talento latente
E o saber solidifica.

Nesse ambiente edifica
Sua arte na pintura
Como bom serigrafista
Misturou sua tintura
Meteu a mão na argila
Produzindo escultura.

Sem nenhuma ruptura
Produziu arte diversa
Fundiu o barro e o bronze
Em atitude transversa
No desenho e na pintura
Foi sua estética imersa

Sua arte incontroversa
Muito se desenvolveu
Quando montou fundição
Em Olinda e concebeu
Uma estratégia brilhante
Que ali empreendeu

TA
O legado que nos deu
Registra “Nossa Cultura”
Na Assembleia de Alagoas
A arte é legislatura
Para inspirar o cordel
Maciel foi em bravura.

Com seis metros de altura
Fez a Senhora da Penha
Para estar no Santuário
Que em João Pessoa se empenha
Esculpiu Livardo Alves
Em bronze e pose ferrenha.

Segue sem mudar a senha
“Caixa Dágua” no roteiro
O poeta popular
Também Jackson do Pandeiro
No Ponto Cem Réis está
Do ritmo o Rei verdadeiro.

Do bronze este cavaleiro
Navega em cima na proa
Fazendo Augusto dos Anjos
Onde o “Eu” ainda ecoa
Da Academia de Letras
Na Capital João Pessoa.

FM
Na sua ideia ressoa
Novo conceito de arte
Com sustentabilidade
Com ela faz estandarte
Recicla matéria prima
Do que foi deixado à parte

Com tecido de zuarte
E lata de alumínio
Jurandir constrói beleza
Usando seu tirocínio
O lixo vira troféu
Transforma em luxo e fascínio

Conforme seu escrutínio
Arte e ecologia
Sem padrão massificante
É a metodologia
Com princípios e valores
Que preserva todo dia

E esta filosofia
Faz do artista ativista
Com espírito engajado
Por tabela, inclusivista
É Jurandir Maciel
Um criador humanista

TA
Outra façanha do artista
Esculpiu o imortal
Ariano Suassuna
Para o Centro Cultural
Chamado “A Pedra do Reino”
Um feito fenomenal.

Nesse mundo escultural
Francisco Brennand o exalta
Maciel é talentoso
É excelente e sem falta
Mestre Abelardo da Hora
Diz: Jurandir é classe alta.

Pra seguir nessa ribalta
Bibiano Silva eu cito
E Cassemiro Fernandes
Grandes escultores dito
Mas Jurandir Maciel
Entre eles é o mito.

Ecoa o eco do grito
Quando Michelangelo deu
Depois de esculpir Moisés
Este grande feito seu
Jurandir dá forma ao bronze
Num grito que vem de Deus

FM
Espalhou peça em museus
No Brasil e no estrangeiro
Na capital João Pessoa
Armou o seu tabuleiro
Onde acolhe todo artista
Que logo vira parceiro

O Museu de Esculturas
De Jurandir Maciel
É atração pra turista
Sendo constante e fiel
Na divulgação da arte
Onde se vende a granel

Os poetas de cordel
Encontram boa guarida
Pois a nossa Academia
Teve sede deferida
No museu de Jurandir
Pra que a arte progrida

Pela sede adquirida
Pelo afeto e gentileza
Temos que agradecer
Por conviver com a beleza
De um ambiente cultural
Rico em sua singeleza.

Thiago Alves
A Arte de Thiago Alves
Enviado por A Arte de Thiago Alves em 29/03/2019
Código do texto: T6610758
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
A Arte de Thiago Alves
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 59 anos
179 textos (12272 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/19 04:30)
A Arte de Thiago Alves