Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 

A noiva


Eu envolto ao meu véu branco
Estou indo,
De encontro do meu amado
Ele já me espera
Belo, na frente
Da grande platéia
Testemunhas do meu ato
Que oficializa o nosso amor
— Tremes tanto minha filha?
Meu pai, com seu braço seguro
Me leva ao altar
Este espartilho me sufoca
Este sapato me aperta
— Calma filha, ainda não tocou a marcha nupicial
— Minha maquiagem pai?
— Você esta linda, minha garotinha, estou lhe entregando para vida!
 
— Para pai, sem drama, senão eu borro a maquiagem, Não quer que de linda eu seja a palhaça do meu casamento.
 
Sentia o braço firme do meu pai,
Os zunzunzuns dos convidados
 
A marcha tocou
Era o meu momento de entrar
 
Meu coração queria sair pela boca,
Meu pé doia pelos calos de um belo sapato novo
E este espartilho, por que nao fiz um regiminho?
 
Meu Deus, todos vieram
Todos me vêem
 
Minha mãe,
Papai falou baixinho
— Calma minha menina, lembra da maquiagem
 
E eu vou
Passo a passo
 
Ele me olha
O que será que esta pensando?
Meu Deus, como eu o Amo
 
O sim esta bem ali
Na beira do altar
 

O noivo


— Ela vem?
— Será que ela vem?
 
— Por qual a razão deste atraso?
Ja deveria de estar acostumado,
Todos sabem o quão clichê
É o eventual atraso
 
Olho para a igreja
Mulheres bonitas aqui e ali
 
Mulheres
 
Meu fraco por este
Ser maravilhoso
Que me faz um homem
 
Sou homem
Logo, posso as ter...
— O que seria um casamento?
 
Olho para o Padre
Ele dá um sorriso
 
— Será que ela sabe de algo?
— Como?
 
 
Sempre fui discreto...
 
Finalmente tocou a marcha
 
Como estou elegante com este
Traje alugado
 
E essa madrinha
Que não para de me olhar
O desejo esta em seus olhos
 
Apetitosa
 
— Concentra...
 
— Mude, é passado
 
Como ela esta linda!
Ela vem
 
Parece desconfortável
 
— Será que ela sabe de algo
 
E fará eu passar
Uma vergonha
Na hora do sim?
 
— Impossível
 
Sempre fui discreto
 
Mulheres...
 
Sempre mulheres
 
Eu um homem de uma mulher só
— Será?
 
Ela chega,
Eu a recebo
 
O sogro me encara de cima abaixo
 
Sorrio, sou um gentleman
 
Ele não desconfia de nada
Sou discreto
 
— Esta suando?
(Pergunto a ela)
— Estou um pouco nervosa...
(Ela responde)
 
— Nervosa vais ficar na lua de mel
(Sou um cafa mesmo)
 
Ela diz em sussuros
— Seu safado
 
A cerimônia continua
 
O Padre com aquele
Bla-bla-bla
 
Três dias na secura me deixa
Ansioso
 
Estou aéreo
 
Ele me cutuca
— Você aceita esta mulher
Como legítima esposa
Promete; a amar
Respeitar
Na saúde
Na doença
Até que a morte lhe separem?
 
— Meu Deus, agora eu que fico uma vara verde.
— Vai amor, a igreja toda esta olhando.
...
Waldryano
Enviado por Waldryano em 14/10/2019
Código do texto: T6769342
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Waldryano
Telêmaco Borba - Paraná - Brasil
301 textos (13872 leituras)
29 áudios (963 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/11/19 17:21)
Waldryano