Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
MARIA: UM NOME E O PRECONCEITO

HÁ CRÔNICAS BELÍSSIMAS SOBRE O NOME MARIA OU AS MARIAS. UMA GAROTA QUE NÃO TEM ESSA PRETENSÃO DE FAZER NADA TÃO BELO (FALTA-LHE A INSPIRAÇÃO E O TALENTO), PORÉM, PASSOU GRANDE PARTE DA ADOLESCÊNCIA SENDO UMA DELAS. SÓ NA ÚLTIMA DÉCADA, PESSOAS QUE CHAMAM “FAMOSOS” ATREVERAM-SE A DAR A SEUS FILHOS O NOME: MARIA. ANTES, NÃO SE NINGUÉM FAZIA ISSO. O NOME ERA SINÔNIMO DE POBREZA, TALVEZ ASSEMELHANDO-SE AO SILVA. PORÉM, HÁ TANTA DIFERENÇA, ENTRE A FILHA DE UMA ATRIZ OU CANTORA FAMOSA E A DE UMA HUMILDE MULHER GUERREIRA, NOS ANOS 60 OU 70. OS PRECONCEITOS SEMPRE MOSTRAM SUAS GARRAS. PARA ESSA GAROTA ERA ASSIM.DIARIAMENTE, AS MESMAS BRINCADEIRAS SEM GRAÇA. A IRONIA COM QUE FALAVAM DE SEUS CABELOS (MAIS TARDE, ENTENDEU QUE ERAM BELOS). AS UNHAS POR FAZER. ASSIM ERA A TRISTE ROTINA DA JÁ FORMANDA DO ANTIGO CURSO NORMAL: MARIA A GAROTA TRADUZIA TUDO QUE ELAS JULGAVAM TER E ELA NÃO. O PIOR ELA TORNOU-SE RECLUSA. POUCO FALAVA NA ESCOLA E, EM CASA, SUA POBRE MÃE NÃO TINHA TEMPO PARA ENTENDER. NA VERDADE, PENSAVA QUE LHE FALTASSEM ENCANTOS. ERA O MESMO QUE SER COMUM, SEM NADA A EXIBIR, QUANDO, AS OUTRAS (SUELY, SONIA, NORMA...) EM ALGUM INTERVALO, DESFILAVAM PELA SALA. ERA COMO SE NÃO FOSSE UM NOME. O CURIOSO ERA TÃO LINDO, MAS ELA DE NADA SABIA E SE ANULAVA NAQUELE MICROCOSMOS CRUEL. NÃO TINHA FORÇAS PARA IMPOR A DIFERENÇA ENTRE O TER E O SER. CLARO A IDA A UM SALÃO, À MANICURE FAZ MUITAS PESSOAS TEREM UM TODO DE BELEZA QUE, SEM ISSO, TALVEZ NÃO CONSEGUISSEM, AINDA MAIS QUE JÁ SE MAQUIAVAM, CORRIGINDO PEQUENAS IMPERFEIÇÕES, EMBORA NÃO FOSSE OFICIALMENTE PERMITIDO. QUE ESTRANHO, NAS “DOBRAS DO TEMPO”, A GAROTA VÊ O QUE ERA E – HOJE – JÁ NA VELHICE, PERCEBE COMO FOI TOLA. CHORAVA SOZINHA PELAS RUAS AO SAIR DA ESCOLA E NÃO PERCEBIA OS OLHARES MASCULINOS. SUA VISÃO, NAQUELA ÉPOCA, NUBLADA PELO PRECONCEITO NÃO A DEIXAVA VER QUEM REALMENTE ERA E A BELEZA PURA DE QUE ERA DETENTORA. SEM DÚVIDA, HAVIA ALGUMAS COLEGAS REALMENTE BELAS, NÃO SÓ PELAS FORMAS PERFEITAS, MAS PELAS FEIÇÕES ESCULPIDAS. ENTRETANTO, ELA ERA BONITA – E MUITO. NÃO ERA NECESSÁRIO FAZER NADA. SÓ MAIS TARDE, TEVE A NOÇÃO EXATA DO SEU VALOR (ALIÁS, SERÁ?). QUANDO TEVE O SEU PRIMEIRO E GRANDE AMOR, ESTE LOGO ... LOGO LHE FOI ROUBADO PELA MORTE E ELA ENFRENTOU UM VERDADEIRO TEMPORAL EM SEU CORAÇÃO, SEM NADA DIZER. ELA NÃO HAVIA TIDO INFÂNCIA. AGORA, A ADOLESCÊNCIA TAMBÉM PERDIDA. O CURIOSO É QUE A PRIMEIRA VEZ EM QUE VIU O JOVEM POR QUEM SE APOIXONOU, ELE CONVERSAVA COM UMA LINDA MENINA LOURA E ELA – SE PUDESSE - QUERIA ESCNDER-SE COM VERGONHA, ENQUANTO NÃO ENTENDIA POR QUE OS OLHOS DELE A SEGUIAM, MESMO COM A OUTRA GAROTA POR PERTO. NÃO FOI SEM RAZÃO QUE CERTO DIA ESSE RAPAZ APARECEU NA CASA DA MÃE DELA QUE, ALÉM DE LAVAR ROUPA PARA FORA, IMPROVISAVA UMA PEQUENA PENSÃO. MARIA, PERCEBEU ELA, NÃO ERA SÓ MARIA. ERA UMA ENCANTADORA NORMALISTA QUE DEPERTARA UM QUERER ÚNICO NAQUELE RAPAZ BEM MAIS VELHO. MAS DUROU TÃO POUCO. NESSA FRAÇÃO TEMPORAL, NO ENTANTO, ELE LHE MOSTROU QUEM ELA ERA E O QUE VALIA. FOI UM AMOR INTENSO E PLATÔNICO. AS RAÍZES DELE, PORÉM, AINDA ESTÃO FINCADAS NO SEU CORAÇÃO. COM ELE, TUDO CONVERSAVA. COM ELE, TUDO ERA DIFERENTE. TODOS OS ASSUNTOS OS PRENDIAM HORAS, NAS ESCADARIAS DA CASA DE SUA MÃE, SOB O OLHAR ATENTO DE SEU PADRASTO. ATÉ QUE A MÃE A CHAMAVA: MARIA DE LOURDES ESTÁ NA HORA DISTO, DAQUILO E DE MUITO MAIS. NÃO ERA O NAMORADO COM QUE TINHAM SONHADO PARA ELA. CERTO DIA, A MÃE DE MARIA, QUERENDO FAZER-LHE UMA SURPRESA, VEIO ESPERÁ-LA, COM VÁRIAS E GRANDES TROUXAS DE ROUPA À CABEÇA. ERA O SEU GANHA-PÃO E DA PRÓPRIA NORMALISTA QUE PASSAVA E ENGOMAVA COMO NINGUÉM E JÁ DAVA AULA PARTICULAR. IMAGINE-SE, NO ENTANTO, O QUADRO. ENQUANTO ALGUMAS ENTRAVAM NOS AUTOMÓVEIS QUE AS ESPERAVAM, ALI ESTAVA A MARIA COM SUA MÃE, RETRATANDO A POBREZA COM QUE VIVIAM. MEUS DEUS! MARIA, PODIA DEIXAR QUE RISSEM DELA. ELA JÁ SABIA DISSO. MAS, SUA MÃE NÃO DESCONFIAVA DE NADA E NUNCA A VINHA ESPERAR (ELA SÓ PARTICIPAVA DA ENTREGA DE MEDALHAS, QUANDO A NORMALISTA ERA CHAMADA À MESA DE HONRA PARA LHE DAREM UMA MEDALHA. EMBORA A OLHASSEM DE SOSLAIO, ERAM OBRIGADOS, PELO PROTOCOLO, A APLAUDIR AQUELA POBRETONA. DE REPENTE, COMEÇOU UMA ALGAZARRA E QUEM NÃO HAVIA, AINDA, SAÍDO, DIRIGIA-SE AO PORTÃO PARA VER A MARIA E SUA MÃE , QUE PERGUNTOU, SEM ENTENDER: - DE QUEM OU DE QUÊ ESTÃO RINDO? - MÃE , ESTÃO RINDO DE NÓS. A JOVEM ABRAÇOU-SE À BELA MÃE, PEGOU UMA DAS CESTAS DE ROUPA DE SUAS MÃOS E TENTOU ENXUGAR-LHE AS LÁGRIMAS QUE CORRIAM POR SEU ROSTO, ABUNDANTES. NÃO CONSEGUIU. FORAM, A PÉ, COMO SEMPRE, PARA CASA, DEIXANDO, ATRÁS DE SI, O RUÍDO CRUEL DO RISO. CLARO QUE NINGUÉM OFERECIA UMA CARONA A PESSOAS TÃO INSIGNIFICANTES. MAS, SUA MÃE, PELO CAMINHO, DISSE: - AGORA, COMPREENDO PORQUE SEMPRE CHEGAS TRISTE, FILHA, DESCULPA, EU NÃO TENHO MAIS QUE DAR. PEÇO-TE DESCULPAS. NESSE MOMENTO, A NORMALISTA, COLOCOU TUDO SEGURAVA NO CHÃO E FALOU: - MÃE, VOCÊ NUNCA ME DEVE OU DEVERÁ DESCULPAS. SE ELAS SÃO ASSIM EU NÃO VOU MUDAR A ARROGÂNCIA E O PRECONCEITO DE NINGUÉM. TAMPOUCO QUERO. VOCÊ É A MELHOR MÃE QUE EU PODERIA TER. ACORDA DE MADRUGADA. TRABALHA ATÉ ALTAS HORAS DA NOITE. NÃO ME FALTAM LIVROS. VOCÊ DEIXA DE COMER PARA COMPRÁ-LOS, EU SEI (NAQUELE TEMPO OS LIVROS NÃO ERAM DOADOS). TEMOS O ESSENCIAL. UMA CASA, MESMO QUE MODESTA E QUE NÃO É NOSSA. MEU PADRASTO PERDEU TUDO, MAS VOLTOU A TRABALHAR (ELE SE LEVANTA ÀS QUATRO PARA TRABALHAR EM AÇOUGUE).ALÉM DISSO, EU TENHO MEU JARDIM. NUNCA! NUNCA ESQUEÇA DISSO!... A JOVEM NORMALISTA PAUTOU SUA VIDA PELO EXEMPLO DA MÃE. ENTRETANTO, NUNCA ESQUECEU AS LÁGRIMAS QUE NÃO ENXUGOU TOTALMENTE. EM BREVE, ESTARIA TRABALHANDO E OCUPOU ALTOS CARGOS. AOS POUCOS, ELA APRENDEU QUE ALÉM DO VALOR DO CONHECIMENTO, ELA TINHA OUTROS ENCANTOS FÍSICOS E PSICOLÓGICOS. APRENDEU A SER LÍDER, COM POUCO MAIS DE DEZESSE ANOS E SOUBE QUE ERA UMA JOVEM MAIS BONITA E ATRAENTE DO QUE NUNCA PENSARA. FICOU O RUÍDO DAQUELAS DAS GARCALHADAS E DO RISO ESTRIDENTE ...
Luandro
Enviado por Luandro em 01/09/2018
Reeditado em 04/09/2018
Código do texto: T6436578
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Luandro
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 70 anos
215 textos (12113 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/01/20 10:26)

Site do Escritor