Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


 


Começo a minha argumentação com uma citação de um comentário que recebi no meu último texto aqui no Recanto das Letras.
 
Ué? E o fato de Bolsonaro ter se ligado ao PSL e usado os recursos dele para se eleger, sem se preocupar com quem estava adotando como "companheiros de chapa", e agora dar as costas a este mesmo partido e ainda fazer o possível para prejudicá-lo não o transforma também em um "Chupim"? Comentário do Leandro G  Card
 
Só para refrescar a memória neste texto comentei sobre a saída do Bolsonaro do PSL e do fato dele estar lançando um partido novo.
Nele também citei os Chupins do PSL que não esperaram dar um ano e já estão dando bicada no seu mantenedor (pensamos do modo que foi o Bolsonaro que os colocou no poder, logo já viraram o coxo.)








E recebi o tal comentário que fiz questão de destacar, e sim, utiliza-lo para argumentar.
Pois, adoro conjugar o verbo. "Eu argumento".

Primeiramente, como todos bem sabem o Bolsonaro se elegeu com 7 segundos de propaganda eleitoral, contra fatos não há argumento. Isto é um fato.
Segundo lugar, o Bolsonaro utiliza do Facebook e do Zap para manter-se comunicável com o seu público. 
Pense na economia que ele mesmo propõe-se a fazer utilizando um estúdio rústico de modo a se comunicar e dizer o que acontece e o que pretende fazer. Outro fato bem coerente e verdadeiro.
E por último, nem menos importante é uma legenda, se fazer com um nome. Isto é o que acontece no PSL até então.
Todavia, se fossemos comparar PSL e PT veríamos umas não conformidades assustadoras.
A Lealdade.
Enquanto o PT está lá todo cagado, pelo menos eles são leais aos seus ideais esquerdistas, e principalmente ao seu líder maior quase deus, aquele que veio do fundo do mar, ou de uma cadeira de Bar, o Lula.
E eles sabem que o PT é sinônimo de Lula, e seguem a cartilha a risca, afinal o PT e o Lula meio que são sinônimos.

 "usado os recursos dele para se eleger"

Bla-bla-bla-bla...

Por algum acaso só para constar o Bolsonaro é rato de Brasília, foi deputado várias vezes e sabe perfeitamente seguir as regras do jogo.
Eu nunca adentraria na política, mas se adentrasse eu iria querer saber andar conforme a cartilhinha da tal empreitada. Sendo lícito faria, pois, faz parte da candidatura, usar recursos partidários.
O que é interessante saber é que o ‘marketing’ pessoal do Bolsonaro foi feito em redes sociais, e os recursos foram por várias vezes, engajamento dos seus filhos, Carlos Bolsonaro fez isto.
Uma nova maneira de fazer política.
Os outros candidatos julgavam que somente na campanha conseguiriam se eleger, tal qual era antigamente.
Engano;
O povo brasileiro esta mais esperto e gosta de acompanhar os desdobramentos para escolher o seu candidato.
Não se consegue ganhar uma eleição com dinheiro de partido para aparecer em santinhos ou em propaganda de televisão somente no momento da eleição, em si, Bolsonaro provou que este método é ultrapassado.

"não o transforma também em um "Chupim?"

Outro Bla-bla-bla terrível...

O Cara faz todo um engajamento, faz valer o seu discurso acido e ousado, tenta de todos os modos ser o capitão resgatador da moral e do bons costumes.
Tira a farra dos bois esquerdista das nossas faculdades (pelo menos tenta com bastante afinco isto)
Deixa bem claro a todos  que antes de querer fazer discursos no meio acadêmico sobre minorias, identidade de gênero e tantas outras coisas destoantes.
Demonstra que o Brasil precisa usar o dinheiro da educação na (cerne) da educação que é a formação básica.
É fato que acontece no Brasil. (ou acontecia) Muita reflexão esquerdista. Todavia para refletir o coitado do educado precisa raciocinar. E as provas internacionais que nivelam o analfabetismo funcional demonstra este abismo que precisamos sair.
O PSL hoje assistindo a jornais vi ele se fazer de vítima e colocarem o Bolsonaro Presidente como vilão da história.
Como diria o Bolsonaro em alto e bom som:
— CANALHAS e é este o adjetivo para um partido que não sabe valorizar o seu maior nome, e diferente de um partidinho vermelho e preto, segue em um modo de divisão preocupante.

O Bolsonaro somente foi verdadeiro com as suas verdades. Se é para dividir, dividimos de vez.

Recursos partidários sempre existirão, afinal a eleição deve de ser honesta e justa, sendo assim, o dinheiro para angariar uma eleição precisa sair de um partido. Logo é lícito.

O que não é lícito é a desunião entre irmãos partidários que pelo menos deveriam agir assim.

Bem, eu não culpo os coitados dos chupins que acabaram de bicar o tico-tico Bolsonaro. A imprensa esquerdista todos os dias traz uma enxurrada de informações manipuladas e deixa o cenário tempestuoso.


 
Waldryano
Enviado por Waldryano em 13/11/2019
Reeditado em 13/11/2019
Código do texto: T6794162
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Waldryano
Telêmaco Borba - Paraná - Brasil
327 textos (17021 leituras)
29 áudios (1074 audições)
1 e-livros (8 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/19 13:04)
Waldryano