Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HOLOCAUSTO FINAL

“Trovas do medo”

Foram dias negros de agosto
Em que o terror desceu à terra
Espalhando por cada rosto
O que de pior tem a guerra.

Setenta e cinco anos passaram
Mas nunca passou o horror
Do medo que interiorizaram
Na medula da alma e da dor.

Foi Hiroshima, foi Nagasaki,
Foi o povo das duas cidades,
As vítimas do triste alibi:
Fazer bem com duas maldades…

A “rapazinho” e a “gordaças”,
Foram as bombas do inferno
Que espalharam as mil desgraças
Mascaradas de um medo eterno.

A Little Boy e a Fast Man,
Como dois brinquedos de sorte,
Foram jogados com intenção
De semear nas cidades a morte.

Cidades escolhidas a dedo,
Entre muitas cidades iguais,
Foi este o demoníaco segredo
Pra derrotar os Samurais.

“Importa que a Guerra acabe
Pois nunca há duas sem três”,
Eis aqui o argumento que cabe
Na rendição de uma só vez…

Foi assim que o Império caiu
E, por entre brumas e nevoeiro,
Todo aquele povo submergiu
Num humilhante cativeiro.

Holocaustos sempre houve na história,
Mas nunca, desta forma, brutais
E nenhuma justiça fez memória
Ajuizando tais Maiorais…

Ó trovas minhas, denunciai
Esta impunidade fatal
E vós, humanos, retirai
Lição, deste holocausto final!


Frassino Machado
In RODA-VIVA POESIA
FRASSINO MACHADO
Enviado por FRASSINO MACHADO em 06/08/2020
Código do texto: T7028173
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
FRASSINO MACHADO
Odivelas - Lisboa - Portugal
2403 textos (58019 leituras)
20 áudios (1111 audições)
2 e-livros (35 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/20 18:58)
FRASSINO MACHADO

Site do Escritor