Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROBÉRBIOS MINEIROS VIII - TROVAS DE J B PEREIRA. 28/12/2017.

PEREIRA, José João Bosco. E Divinópolis se fez poesia! Trovas. 2011. 200 p. s/editora. livro virtual.

PEREIRA, José João Bosco. Momentos Poéticos. Serfor, 2006. 63 p.


Quanto é bom ser mineiro,
Vivo feliz, sou capaz,
Vivo assim: sou brasileiro.
Cada dia, vivo da paz.

“Quem avisa amigo é”.
É tesouro conquistado:
O conselho de quem vier
Tem sentido lapidado.

Água das Minas saudável:
É, desta Terra, riqueza.
Retém valor agradável,
Para todos é beleza!

Faço trova como quero,
Faço versos como trova,
Senão terno, mesmo tenro,
Como amigos à tua prova.

Sou só novo trovador,
Amo poesia no labor.
Quis ser sonhador,
Sem ter nada, só Tabor. (lugar da Transfiguração de Jesus)

Os ciclos desta cidade
São desafios a vencer.
É a força de sua idade,
Não se deixa corromper.

“No principio, Deus criou.” (Gn 1,1)
A mata, rio, verde, terra;
Em Cristo, tudo recriou.
Veio o Divino além da serra.

De Maria e Jesus, aos braços.
Veem José partir ao Céu;
Seguros de sãos abraços,
O Justo vai além do véu. (São José, o Justo, pai nutrício de Jesus)

“Tão sublime sacramento,  (Tomás de Aquino, Doutor Angélico)
Adoremos” o Paráclito,
Diva vida em suplemento:
A luz vem com o Espírito.

A brisa que me enobrece
Quando rezo onde cresci
Ao elevar à alma sua prece
De mim, do mal decresci.

 É artista a Nogueira     (Retalhos de uma vida, de Aparecida Nogueira)
Ao citar os que nos encantam.
Em versos que decantam
A vida em ar de figueira.

Amara sem interesse.
Frei Orlando soube rir.     (Capelão militar falecido na
                        segunda Segura: * 1910 , + 20 de fevereiro de 1945)
Embora muito sofresse,

Aos soldados, fez sorrir.
Que Padre Libério Santo!     (30/06/84-21/12/1980)
Foi para todos conforto,
Curou dor a cada canto.
Amou Jesus em seu Horto.

Eu quero à esposa querida  (MARIA DO CARMO TRINDADE PEREIRA)
Enaltecer nestes versos:
Maria do Carmo cingida
de luzes e sons imersos.

Ao meu filho batizei,       (Batismo no Hospital São Lucas - jan. 1998.)
Padre Áureo completou rito.
Ao meu Bom Deus bendizei:
Com Lucas, aqui medito.    (Lucas Trindade Pereira, Meu Filho)

Lembre, meu filho, ser poeta:
Saberes viver tua vida.
Cada dia perto da meta,
Sem medo de tua partida.
Saudade, Sebastião.  (Sebastião Pereira, meu pai dentista: 1932-91)

Que Poeta, ó meu Paizinho.
Mercês, mãe, admiração. (Maria das Mercês Nascimento Pereira: 1336)
Aos meus pais, tanto carinho.
Sebastião é mártir santo, (Festa em 20 de janeiro)
Vencendo o terror da morte.

Mas fez do céu seu Recanto,
Afastando-se da coorte.
Querido Padre Miguel (Pe. Miguel de Andrade Reis, 1912-1976, São
                                   Miguel do Cajuru, MG)
Que o povo ama, saudade
Do humilde servo fiel.
Cajuru vê sua bondade.

À mente, Padre José    (Pe. José Teixeira, São João Del-Rei, MG)
Ensina com sua firmeza:
 A Dom Bosco mostrou fé;
A Jesus, louva grandeza.

O Dom Antônio Mesquita (Segundo Bispo de São João Del-Rei)
Foi modelo de Pastor.
Nossos olhos à fé fita,
Peça por nós ao Senhor.

Ao simpático casal:
Léa e Messias são meus avós,  (Família Delvechio Trindade, São João
                                                  Del-Rei)
Faço prece matinal.
Venceram juntos e a sós.


E DIVINÓPOLIS SE FEZ POESIA! J B PEREIRA

Minhas trovas.
                       MINHA VIDA SE FEZ TROVAS

Filho, pai: Lucas, João Bosco
Lançam Momentos Poéticos   (2006),
Alegres estão conosco,
Realçam versos noéticos.  (J B PEREIRA)

https://www.recantodasletras.com.br/homenagens/5090266


CORGOZINHO, Batistina Maria de. Nas linhas da modernidade:
a passagem do tradicional ao moderno no centro-oeste de Minas Gerais. Belo Horizonte: Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, 2003.
366 p.

BESSA, Pedro Pires. Sebastião Bemfica Milagre: o poeta de Divinópolis. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 2003. 156 p.

FARIA, Antônio Esteves de. Pequena história de um grande Amor.
Belo Horizonte: Novo Rumo, 2005. 130 p.

MILAGRE, Sebastião Bemfica. Almanaque: o lírico da noite. Gráfica Santo Antônio, 1985.  81 p.

SOUZA, Jadir Vilela de. Centro Histórico de Divinópolis. Guia Informático. Nº 1-73. ADL, 1973. 20 p.

Pêsames ao poeta Jadir Vilela de Souza que conheci em Divinópolis, MG - joao bosco...
Re: Nota de falecimento - De:joseboscolpp@bol.com.br
https://www.recantodasletras.com.br/homenagens/3748367

Jadir Vilela de Souza, bancario, advogado, mágico, educador fundador da FACED E A SOCIEDADE BOM BOSCO, pai e esposo exemplar..., antes de tudo o acadêmico e o poeta de versos de um apaixonado jovem em Divinópolis, foi O insigne "divinopolense" (neologismo de Sebastião Milagre) digno desse nome. Correspondeu aos talentos de que a Majestade Divina lhe enriqueceu...

Fiquemos comovidos e elevamos ao céu uma prece ao guerreiro do soneto e ao último pioneiro e cofundador da nossa ADL nos anos 1960.
J B Pereira
Enviado por J B Pereira em 28/12/2017
Reeditado em 29/12/2017
Código do texto: T6210980
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2354 textos (1353287 leituras)
15 e-livros (116 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/02/20 04:11)
J B Pereira