Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 

TREINANDO TROVAS
10.08.2010  (PRL)

 

Nunca fiz trova alguma, até por que tinha receio de enfrentar o público leitor, todavia, como nordestino cabra da peste lá vão algumas que bolei assim de repente:

 

Não sei se posso contar

Aqui agora rimando

Queria somente falar

Pareço estar trovando

 

Trovar era  meu desejo

Pra ela queria mandar

Tonelada de beijo

Será que iria aceitar?

 

Orgulhosa até demais

Disso não pode negar

Vem de seus ancestrais

Um dia vai me adular

 

Não estou nem me lixando

Parece até desencanto

Talvez só me agarrando

Receba meu acalanto

 

Gênio à flor da pele

Maluca como ninguém

Insiste que me atrele

Sumindo assim o desdém

 

Mas quando eu me aloprar

Vou sair dessa jogada

Isso não vai demorar

Minha opção é pensada

 

Noutro dia eu quis falar

De mim ela até sorriu

Mas quem quiser duvidar

Vá pra ponte que caiu

 

Nunca vi mulher igual

Julga-se muito gostosa

Mas não é a ideal

Bonita e muito formosa

 

Também e aqui pra nós

No momento tô com três

Nunca elevo a voz

Porque já sou bom freguês

 

Uma de sete às oito

Dia sim e outro não

Ela me acha afoito

Quando uso minha mão

 

Outra de oito às nove

Quando chego ela treme

Logo fica ouriçada

Por vezes até que geme

 

Maluca pedindo mais

Nunca perco a parada

Depois leio jornais

E a deixo bem cansada

 

À terceira, entretanto

Só chego após as nove

É quando o sarro come

Ela é que me comove

 

Pra sair não tenho hora

Porque ela nunca deixa

Adoro a minha nora

Dela não existe queixa

 

Noutro dia foi gostoso

Perdi a hora do trem

O amasso muito bom

No famoso vai e vem

 

Com duas vou terminar

Embora muito teimoso

É que não quero morrer

Ficando tuberculoso

 

Viagra já não aguento

Puxa muito pra valer

Levanta até defunto

Naquele endurecer

 

Penso vai ficar assim

Uma sim e oito não

Ela vai achar ruim

Zelo pelo meu canhão

 

Puxando para esquerda

Ele vai se recolhendo

Claro será uma perda

Termina se encolhendo
 

Interação de AIYA:

 

Bom trovador te fizeste

 Brincou de pintar o sete

 Porreta cabra da peste

  Na gueixa meteu cacete!
 

José Carlos Cavalcanti interagiu:

 

Trova não de minha lavra,

Tanto quanto você diz,

Mas olhando sua palavra

Tomei coragem e fiz

 

Luna Di Prima LUA colaborou:

 

Cabra da peste danado

Que se faz nos versos vai

Segue com todo cuidado

Mas das mulheres não sai
 

 

Ariadne Cavalcanti fez assim:

 

Cabra da peste ou não,

 Deixe disso meu rapaz,

Quem tem três, não tem nenhuma

Isso assim já é demais!
 

Ange se juntou às trovas:

 

Cabra da peste danado!

Das trovas bem treinado

Trovando para as mulheradas

És Rei do teu reinado!

 

 

 

Milla, grande escritora, aqui falou:

 

 

 

Tuas trovas agradaram

Pois são perfeitas e belas

Todos que aqui chegaram

Reforçaram o valor delas!
 

12/08/2010 - Giustina:

 

Se gaúcha faz cordel

 Nordestino arrisca trova

 Esse é nosso papel

 Poeta sempre renova.

Meu professor Jerson Brito:


Amigo, quem tem o dom
Faz verso com competência
Você nisso é muito bom
Tem a minha reverência



15/04/18 13:10 - Vana Fraga interagiu muito bem...grato:

Nessa Ciranda Encantada
Vou De Fininha Entrar

Dar A Minha Versada
Podem Até Criticar
Na Rima Sou Danada
Podem Escafunchar
Seja De Madrugada
Em Qualquer Lugar
Estou Bem Avexada
Sem Medo Por Errar
Ja+ Dei Uma Travada
Nasci Foi Pra Jorrar
Fico A Vida Na Jogada
E Aí De Quem Me Boicotar...

Boa Tarde Poeta E SeusueM Ilustres Ilustres Amigos, 

Quero Vos Reverênciar, 
E Ajudar Ceifar O Trigo


 

31/05/19 19:51 - Leila Azevedo interagiu...muito grato:

Tu és um trovador/ Cabra da peste ou não/ Cada verso que escreveste/
Foi mesmo de coração. ////. Adorei tudo !!! Parabéns! Voltarei a te
ler. Abração da região Sudeste rsss

ansilgus
Enviado por ansilgus em 10/08/2010
Reeditado em 31/05/2019
Código do texto: T2429174
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
ansilgus
Recife - Pernambuco - Brasil
1657 textos (334422 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/19 13:47)
ansilgus