Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MISCELÂNIA - A, B, C, D


 
1---AMERICANISMOS - 1-THEODORE ROOSEVELT, hóspede americano, aventura do presidente em Rondônia, 1913, em paralelo com o nosso Marechal RONDON - haverá filme. ----- 2- Ao início da década de 1950, o funcionário do governo dos States e empresário NELSON ROCKEFELLER negociava em nossas áreas de metalurgia, agricultura, vestuário e construção civil, vendo no Brasil importante aliado latino e - no pós-guerra - implementou na região "aqui-do-Sul", países mais destacados,  a Política da Boa Vizinhança, aproximação econômica e cultural - entre estas ações, visita de ORSON WELLES ao Brasil e WALT DISNEY criou o personagem ZÉ CARIOCA (dele, se diz papagaio preguiçoso e caloteiro, mais insulto que elogio).  Em todo caso, incentivou a criação de museus para os quais doou muitas obras de arte - o MAM/RJ, prédio modernista, data de 1952.
 
2---BRIGADEIRO:  nostalgia? / metamorfoses.  Não lenda urbana.  Em 1950, ELE concorreu pela segunda vez à Presidência.  Gentil, sorridente, doce de pessoa...  O que se diz é que o docinho ainda sem nome, bolinhas de leite condensado + chocolate (delícia indispensável!), teria sido inventado por mulher carioca (ah, só podia ser!), vendido em tabuleiros durante os comícios e, sob slogan feminino popular "Vote no brigadeiro, que é bonito e solteiro...", recebeu o epíteto do super galã, militar com vocação democrática /raro/ e forte senso de justiça eleitoral /mais raríssimo ainda/.  Muitas qualidades para o Catete e posteriormente Brasília. No Maracanã, misturava-se anonimamente junto aos torcedores nas arquibancadas (nunca descobriram seu time favorito);  missa aos domingos;  fazia doações aos pobres de Petrópolis;  ajudava financeiramente missões religiosas no interior da Amazônia, fornecendo dinheiro vivo e alimentos;  fã da atriz sueca GRETA GARBO - filho dedicado de dona JENNY, jamais casou, vida perigosa, não quis deixar viúva moça.  Impressionante trajetória de EDUARDO GOMES (1896/198l) - aviador, militar e político brasileiro.
 
3---COR DE ROSA, sinônimo de fragilidade?  Não.  Cor de gente forte.  No século XVIII, era restrita à aristocracia francesas de ambos os sexos (gêneros, na gramática e na linguagem de hoje):  riqueza e bom gosto.  E os espartilhos cem anos depois eram brancos ou rosa.  Houve a fase rosa do mestre PABLO PICASSO.  Marcadamente nos anos 40/50, bebês-meninos vestidos em azul, bebês-meninas em rosa.  O rosa-shocking aparecera em 1937 e rendeu décadas.  Ruim o triângulo que nazistas costuravam na roupa de certas pessoas, porém mais tarde rosa como simbolo do orgulho negro dos cantores americanos do hip-hop, de comunidades LGBTQ e em marchas feministas de protesto contra variadas causas.
 
4---DNA, em modernas técnicas de sequenciamento, "dedurando" traição ancestral no Egito - múmias de dois pais diferentes...  Por volta de 1.800 a. C., dois meios-irmãos e não filhos do mesmo pai e mãe, na época assim identificados.  Sarcófagos encontrados em 1907 (como demorou, hein?) em Deir Rifeh, vilarejo a cerca de 250km do Cairo, múmias de dois homens da elite Khnum-nakht e Nakht-ankh, filhos de um governante local e da mulher Khnum-ga.  As análises morfológicas dos esqueletos bastante diferentes, sugerindo inexistência de relação familiar, talvez indicasse misteriosa adoção, porém, examinados os dentes, ambos possuem o mesmo haplótipo mitocondrial... da mãe - resta saber se o patrirarca tinha conhecimento da relação dela com outro homem.
 
    -------------------------***************----------------------------
 
FONTES:
 
Rio, revistas ÉPOCA e ELA, sem data e 9/4/18 --- Rio, jornal O GLOBO, 19/1 e 21/7/18.
 
                                          F  I  M



Rubemar Alves
Enviado por Rubemar Alves em 20/11/2018
Código do texto: T6507010
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rubemar Alves
Salto - São Paulo - Brasil, 52 anos
890 textos (51734 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/19 21:02)
Rubemar Alves