Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
MITO CAMONIANO - Aula no Ensino Médio



I----ESTUDO DAS REDONDILHAS

1- Dois aspectos - poesia medieval / Camões e poesia renascentista italiana / redondilhas.
2---A herança trovadoresca --- a-tratamento de vassalagem amorosa: divinização da mulher amada e divinização do próprio Amor (aspecto de mitologia) --- b-tom confidencial preso à natureza --- c-simplicidade de tratamento da temática (tema - forma) --- d-ludismo formal (trocadilhos, jogos de palavras etc.) ---e-cantigas de amor (modificadas), pastorelas (cantadas com evolução).
3---Influência já renascentista --- a-descritivismo-colorido: simbologia (olhos verdes = esperança) --- b-análise psicológica --- c-maior domínio vocabular (morte do processoparalelístico) --- d-estruturação sêmica (semântica) --- e-personificação do Amor.
4---A poética das redondilhas - dois aspectos: lirismo do EU e lirismo do MUNDO --- desconcerto é a invariante suprema --- modelo: EU X MUNDO (fundamental), EU X MUNDO, MUNDO X MUNDO --- desconcerto, PLATÃO, essência, desejo X aparência, realidade, frustração.

II-----POESIA DRAMÁTICA - SONETOS

1-O lirismo do EU - amor diante do eu (tema básico) --- formas de projeção: amada - promessa X não cumprimento; olhos - esperança X frustração; natureza - alegria cósmica X tristeza inteira; próprio amor - ilusão X desengano --- amada / sempre tratada como a "senhora" (vassalagem amorosa), "divinizada" (platonismo amoroso), "enganadora" (desilusão) --- olhos / sempre verdes, denotando tristeza, conotando esperança;
---da amada --- sempre a forma que o poeta encontra para fazer a relação do outro (projeta-se no outro); de 39 redondilhas, 24 são só a respeito de olhos;
---do poeta - são sempre elementos reveladores da realidade (realidade frustradora);
---verbo ver - muito usado pelo poeta (aspecto visual, verdadeira obsessão de Camões).

2.O lirismo do MUNDO --- realidade diante do EU (tema básico) --- formas de projeção: desejo X desilusão, prêmio x castigo, imanência X transcendência --- o lúdico - forma de redução do desconerto: a-o lúdico e o senso de humor (poemas=piadas) --- b-o lúdico e a forma: jogo fono-semântico (jogo de palavras) - "verde" como substantivo, adjetivo e verbo; "pena" de voar de escrever, de sofrimento etc.; jogo fono-sintático; jogo versificatório; jogo morfossemântico --- c-o lúdico e o conceito; brinca e tira um conceito moral.

III-----POESIA HISTÓRICA- - POESIA LÍRICA

1-CAMÕES - BABEL E SIÃO

Sujeito - 1-judeus - 2-poeta - 3-Humanidade --- Espaço real (presente) - 1-Babilônia - 2-Exílio da pátria - 3-Terra (pátria temporal) --- Espaço ideal (passado) - 1-Sião - 2-Pátria - 3-Céu (pátria divina) --- Planos - 1-Diacrônico histórico - 2-Diacrônico pessoal - 3-Sincrônico metafísico.
Três sujeitos - a-histórico - judeus (exílio x Sião) --- b-pessoal - EU (Goa, cidade africana, exílio dos portugueses X Lisboa) --- c-metafísico - sujeito coletivizado - humanidade: Terra (exílio da alma) X céu (pátria divina).
CAMÕES - desconcerto do mundo entre uma situação real e uma ideal, um choque entre passado e presente - uma visão caótica do mundo:

Ideia - CÉU
PLANO IDEAL - passado feliz: Sião
PLANO REAL, negação - presente infeliz: pessoal e histórico Babilônia /visão diacrônica/
Imagem - TERRA
/visão sincrônica/

2.CAMÕES - LIRISMO

Sonetos - poesia lírica - poesia dramática - modelo: EU X MUNDO.

Três invariantes - a-básica - AMOR - material (desejo) X ideal (frustração); definível (objeto de conhecimento) X indefinível (ideal, impossível de definir) - AMOR - ideal - fino, delgado X material - baixeza --- elemento estilístico típico em Camões são as antíteses --- amada, angelical, exemplos em Beatriz, de DANTE e Laura, de PETRARCA --- b-mudança temporal - para pior: esperança X engano; ânsia de felicidade X frustração --- c-visão dedescncerto do mundo - globaliza as 2 variantes anteriores e reflete mais diretamente o modelo; merecimento e prêmio.

Recursos estilísticos nos sonetos camonianos: a-estrutura de conceito - a partir deste conceito, vai desenvolver todo o poema --- b-aspectos maneiristas (antíteses, paradoxos, recursos de plasticidade, intensificação /hipérboles/, processos paralelísticos anafóricos ou de quiasmo - exemplo: "Alma minha gentil que te partiste..." - olhos/visão/ver - real, "eu cá na terra, só" X ideal, tentativa de revê-la no céu

LÁ (céu)
IDEAL - passado feliz, conjunção: eu + amada
CÁ (terra)
REAL - presente infeliz, disjunção: eu-terra x amada-céu

--estado permanente - lá (+), "repousa" (eternamente, imperfeito) / mudança - "partiste"/ estado transitório - "viva" (triste, subjetivo) - cá (-)
--estrutura lógica - TESE - estrofe 1 - constatação da disjunção, separação - HIPÓTESES - estr.2-3 - condicional, possibilidade de reencontro - SíÍNTESE - estr.4 - apelo, encontro na eternidade
--estrofe 1 - oposição - verso 1, lá; v. 2, cá - estrofe 2 - v.3, lá; v.4, cá

(Segue.)







 
Rubemar Alves
Enviado por Rubemar Alves em 06/10/2018
Reeditado em 06/10/2018
Código do texto: T6468948
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rubemar Alves
Salto - São Paulo - Brasil, 52 anos
878 textos (50698 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/11/19 03:44)
Rubemar Alves