Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Teoria Literária #059: Como compor Odepiano

Teoria Literária #059: Como compor Odepiano

Criação do Poeta Bosco Esmeraldo, parte de seus Alelos Esmeraldinus.
Consiste uma composição de louvor e gratidão, ótima, creio, para tecer loas e louvor ao Senhor, o Eterno, um culto de adoração. Pode também ser utilizada para apologias, elogios em alto estilo.

Eimologia: “ode”, composição poética, “piano” por eufonia, do gr. 'paian' (peã), hino de gratidão. Paian é o sobrenome de Apolo.
Estrofação: Quinze ou dezesseis versos distribuídos em três estrofes nos seguintes formatos:
Os versos finais marcados em “L” têm métrica e rimas livres, a gosto do Poeta.
Métrica: Versos assimétricos.
                   [11, 11, 7, 5, 7, 5, 7], [11, 11, 7, 5, 7], 5, 7, [L] ou
                   [11, 11, 7, 5, 7, 5, 7], [11, 11, 7, 5, 7], 5, 7, [L, L].
Rímica:
    a) ABBBAAB CDDDCCD E
    b) ABBABAB CDDCDCD EF
    c) ABBAABA CDDCCDC BD

A rima em “E” pode ser utilizada a de qualquer uma dos versos antecedentes.
A rima em “EF” É livre, mas se preferir pode rimar com quaisquer das rimas anteriores.
O último verso (monóstico) tem a responsabilidade de concluir o Odepiano fecho-de-ouro.

******
ode
(o.de) [ó]
sf.
1. Poét. Poema lírico com estrofes simétricas, de caráter entusiástico.
2. Entre os antigos gregos, composição lírica própria para ser cantada.
[F.: Do lat. tard. oda, ode, deriv. do gr. odé.]


Leia mais: http://www.aulete.com.br/ode#ixzz3tIdjE0Ta

***
Piano (peã):
s. m. || na Antiguidade clássica, hino de gratidão em honra de Apolo e Diana. Também se cantava depois de uma vitória em agradecimento a Marte. Opunha-se-lhe o treno, ou canto fúnebre. F. gr. Paian (sobrenome de Apolo)

Leia mais: http://www.aulete.com.br/peã

******

Exemplo:

**********************

MINHA ETERNA GRATIDÃO

A quem darei o meu louvor e adoração? (11)
Ao Senhor, o Eterno. A Ele todo louvor! (11)
A Ele, todo o meu amor! (7)
Glória, força e honor, (5)
minha eterna gratidão, (7)
mente e coração, (5)
a Ele, hasteamos pendões. (7)

A quem darei o meu louvor e adoração? (11)
Ao Senhor, o Eterno. A Ele todo louvor! (11)
A Ele, todo o meu amor! (7)
Glória, força e honor, (5)
minha eterna gratidão, (7)
mente e coração, (5)
a Ele, hasteamos pendões. (7)

A D'us darei meu louvor. (7)

Odepiano #001:

******

ode
(o.de) [ó]
sf.
1. Poét. Poema lírico com estrofes simétricas, de caráter entusiástico.
2. Entre os antigos gregos, composição lírica própria para ser cantada.
[F.: Do lat. tard. oda, ode, deriv. do gr. odé.]

Leia mais: http://www.aulete.com.br/ode#ixzz3tIdjE0Ta

***
Peã (piano, por eufonia):
s. m. || na Antiguidade clássica, hino de gratidão em honra de Apolo e Diana. Também se cantava depois de uma vitória em agradecimento a Marte. Opunha-se-lhe o treno, ou canto fúnebre. F. gr. Paian (sobrenome de Apolo)

Leia mais: http://www.aulete.com.br/peã
Alelos Esmeraldinus
Enviado por Alelos Esmeraldinus em 03/12/2015
Reeditado em 02/02/2016
Código do texto: T5469181
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Alelos Esmeraldinus
Gama - Distrito Federal - Brasil, 95 anos
3763 textos (171974 leituras)
206 áudios (13483 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/08/20 06:33)
Alelos Esmeraldinus