Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto




O QUE É MELODÍSIA?

É um modo novo e gostoso modo de fazer poesia. Seu nome, MELODÍSIA, vem de (MELODIa – PoeSIA). É uma variação do ANACRUSE TUPLETINO ESMERALDINUS criado em 31/07/11 . 

São quatro tercetos hendecassilabos, com um quarteto refrão incrustado entre eles o refrão, com versos de até metade das sílabas dos versos dos tercetos. Neste cado são 4 sílabas em anacruse, ou seja, com sílabas antes da primeira sílaba tônica não contadas.

O Refrão deve conter uma ideia ou mensagem que queira transmitir em sua Melodísia. O quarto e último quarteto deve fechar reforçando a mensagem do refrão, sendo de vital resposabilidade, pois deve fazer o fecho conclusivo e jamais deve deixar o tema em suspense, a menos que esta seja claramente a ideia do poeta.

A contagem das sílabas poéticas é a partir da primeira sílaba tônica poética, não sendo contadas as sílabas que a antecedem.

A repetição do refrão ao final é a gosto do poeta, sendo este dispensável sendo, pois, o último terceto coclusivo.

As poesias escritas neste estilo facilitarão bastante o trabalho de um melodista, caso se queira musicá-las.

Que todos tenham boa experiência e por uso deste envolvente e cativante estilo poético.

Glossário:

Anacruse = Que começa antes do tempo.
Tempo = Primeira sílaba forte;
Binário = que tem dois tempos;
Ternário = que tem três tempos;
Quaternário = que tem quatro tempos;
Tupletino = Contrai as sílabas antes da sílaba forte de cada tempo para adequar a contagem de sílabas sugerida em cada estrofe. Pode ser:
a. 2/1 = que tem dois tempos pronunciados como um;
b. 3/2 = que tem três tempos pronunciados como dois;
c. 4/3 ou 4/2 = que tem quatro sílabas pronunciadas como se fossem três ou duas.
Ritmo = o que determina a cadência na leitura e flutua em cada tempo determinado pelas silabas fortes do verso. Pode ser uniforme ou miscelâneo.
a. Uniforme = que mantém o mesmo ritmo até o final.
b. Miscelâneo = de ritmo variado por estrofes.

Exemplo:
Melodísia #001: O AMOR É ETERNAL

Ritmo: Tupletino-Anacruse, Miscelâneo (Anacruse - ternário)

Ah! Como é
Bom ter-te perto e contigo contar!
Ter a certeza de não estar ,
Poder descansar e, de bilo, cantar...


REFRÃO (Anacruse/tupletino* - binário)

É bom ser bom,
Fazer o bem,
Não importa o tom,
(*)Sê feliz também.


(Anacruse - ternário)

Ah! Como é
Bom compartir, as decias da vida,

Poder te fazer tão feliz e, melhor,
Amar-te sem troca, jamais preterida.


REFRÃO (Anacruse/tupletino* - binário)

É bom ser bom,
Fazer o bem,
Não importa o tom,
(*)Sê feliz também.


(Anacruse - ternário)

O amor quer o bem, pois é altruísta, 
Se porta bem, quer a verdade;
Ele é benigno, nunca egoísta,


REFRÃO (Anacruse/tupletino* - binário)

É bom ser bom,
Fazer o bem,
Não importa o tom,
(*)Sê feliz também.


(Anacruse - quaternário)

Acaba a dor, também o mal,
A vida passa em vanidade,
Porém o amor, este é eternal.



Prometera a mim mesmo tão cedo não mais criar novos estilos, mas meus dedos não sabem nem me quiseram ouvir.




 

Alelos Esmeraldinus
Enviado por Alelos Esmeraldinus em 05/12/2012
Reeditado em 05/12/2012
Código do texto: T4021105
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Alelos Esmeraldinus
Gama - Distrito Federal - Brasil, 95 anos
3767 textos (172734 leituras)
206 áudios (13639 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/09/20 00:57)
Alelos Esmeraldinus