Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

***O Estado***

Vinde a mim; vinde, vós todos que estais...
Com fome, e saberei o que temeis,
Vinde, que e a cada um, três eu lhe darei,
Três medidas do trigo que plantais.

Dez, sim, com dez medidas ficarei;
Não planto, mas prometo, e isso é bem mais...
Do que podeis colher; vinde, esperais,
E ao mundo inteiro vós dominareis.

Vossa fome não clama pelo trigo,
O trigo me entregais, fracos, esquálidos;
Tendes urgências outras, bem o sei!

Espectros cadavéricos, sois pálidos,
Eis que o vosso suplício é nobre, amigos;
A mim sacrificais; por mim morreis.
Fábio Rezende


Tenho a honra de receber a interação do Poeta Carioca, essa Fera dos versos e dos sonetos:

*** PANGEIA HUMANA ***
Elevado e extremado estado Estado!
Senhor feudal maior - pai de utopia -,
Domador de destinos na escopia
Que, generalizada, vê. Malvado!

Multiplicando chuva de arrastados,
O pós moderno rei, na hierarquia
Do poder sobre os fracos de anarquia,
Agrilhoa bilhares de abastados!

No profundo silêncio dos inermes,
Os homens se remexem feito vermes,
Como se fossem filhos dos gametas.

Não. Feito a hipertrofia aterradora,
A humanidade cresce sofredora,
Feito única Pangeia dos planetas!
Poeta Carioca
Fábio Rezende
Enviado por Fábio Rezende em 11/01/2019
Reeditado em 12/01/2019
Código do texto: T6548498
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Fábio Rezende). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fábio Rezende
São Paulo - São Paulo - Brasil, 28 anos
183 textos (11470 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/01/19 11:36)
Fábio Rezende