Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Azul cobalto

Similar ao rio, corro com a vida, não mais,

cultivando na alma a cor  que mora no mar.
Mas esse azul cobalto que te governa a tez
desafia me fazer não gostar de ti, talvez...
 
Os poemas são líquidos, são fundos
e a felicidade já está em nossas agendas...
Que espasmos são esses que ameaçam, no tempo,
a paz do anoitecer e a rosa dos ventos?
 
AH! Tentação de permanecer no fundo,
calmaria que não se inventa, tudo é mundo...
AH! Que azul mereço para 'tirar para dançar'?
 
Assim, me inebrio no absinto que se derrama de mim...
Mas nenhuma rede me intimida ou prende em vão
se não for a do ventre, do sim com anuência do coração...
 
 
Eligio Moura
Enviado por Eligio Moura em 01/09/2018
Reeditado em 01/09/2018
Código do texto: T6436756
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Eligio Moura
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1421 textos (32915 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/01/20 22:44)
Eligio Moura