Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Corrente do Bem – Filme completo em português

REVELADO: 15 Promessas de Nossa Senhora sobre o Santo Rosário.
Até o Padre Pio se impressionou...

https://www.youtube.com/watch?v=UKKzf6WZtjY&t=
_______________

Cabana: Pensamentos que me marcaram... O drama da vida pela vida da Trindade - a cura das emoções pelas Pericorese divina.

https://www.recantodasletras.com.br/resenhasdelivros/6566421

______________

Resenha crítica Filme: A corrente do bem

"O filme A corrente do bem retrata a história de um professor e de seus alunos no início do ano letivo. Eugene Simonet é professor de Estudos Sociais e durante suas aulas fez um desafio aos alunos: deveriam desenvolver um trabalho com o objetivo de mudar o mundo. Era uma proposta que instigava uma participação mais ativa no mundo onde viviam para deixá-lo melhor. Todos trouxeram ideias, algumas até interessantes, outras nem tanto. A maior parte deles desenvolveu atividades sobre o meio ambiente, sem muita inovação. Um de seus alunos, porém, Trevor McKinney, se destacou, criando um jogo em que a pessoa, a cada favor recebido, tinha de retribuir para outras três pessoas, e assim sucessivamente. Seu trabalho tinha como base transformar a vida das pessoas, ou seja, mudar realmente o mundo. Ele o chamou de Pay it forward (“Passe adiante”). Eugene ficou surpreso com a ideia de Trevor e começou a discutir com os alunos, para colocá-la em prática em sala de aula e também na escola, não imaginando que ele poderia concretizá-la na vida real. A princípio o desafio do aluno foi quase impossível de ser realizado, pois seu trabalho era bem complicado, visto que dependia de muitas pessoas, conforme o gráfico que o aluno fez para explicá-lo para a turma. Ele fez várias tentativas e teve muitas decepções na execução do projeto. Um dia, ao voltar para casa após a aula, Trevor resolveu ajudar a primeira pessoa que encontrasse no caminho. Encontrou um homem (drogado), que estava procurando alimentos no lixo, e levou-o para casa, dando-lhe o que comer e o que vestir. Arlene McKinney, a mãe de Trevor, foi sua segunda tentativa. Trabalhava fora o dia todo, pois precisava sustentar o filho e a casa, uma vez que o marido a abandonara, e, por causa dos problemas diários, começou a beber. Chegava em casa cansada e não dava atenção ao filho. Numa noite, sua mãe, ao descobrir que havia um estranho em casa, ficou furiosa, conversou com Trevor e ficou sabendo que o acolhera por causa de um trabalho escolar do professor de Estudos Sociais. Ela foi até a escola, para reclamar com o professor, que descobriu que o aluno levou o trabalho bem a sério, querendo realmente mudar a vida das pessoas. Assim, o aluno tinha cumprido a primeira etapa do jogo e ajudou um indivíduo, que arrumou emprego e estava, agora, tentando ajudar a própria mãe (a segunda pessoa). Sua terceira investida era seu professor, que era introvertido. Trevor armou um encontro dele com sua mãe, que estava sempre sozinha, pois, assim, ele teria um pai e uma pessoa para conversar. Tudo estava correndo tranquilamente quando o ex-marido de Arlene resolveu aparecer, e ela o aceitou de volta. Ele, porém, tentou agredi-la novamente, e Arlene resolveu abandoná-lo definitivamente e ter uma vida feliz ao lado de uma pessoa que a respeitasse (Eugene). Trevor foi determinado em seu desafio, mesmo com dificuldades que teve ao ajudar as três pessoas que havia tomado como ponto de partida para seu trabalho. Mas sua maior preocupação não era a atividade escolar, e, sim, a mudança na vida dessas pessoas. Ele também queria executar seu projeto no espaço escolar, pois tinha um amigo que era agredido por meninos maiores e sempre apanhava, mas nunca teve coragem de ajudá-lo, e isso o angustiava. Com o passar dos meses, a notícia do “Passe adiante” tinha se espalhado. A primeira pessoa (o estranho) ajudado por Trevor já estava fazendo o mesmo por outra (a corrente tinha dado certo), sua mãe também perdoara à sua avó, que não os via há muito tempo (mais uma vez a corrente estava acontecendo). Assim, seu projeto teve grande proporção e atingiu pessoas de outros lugares, chegando ao conhecimento de um repórter, Chris Chandler, que queria desvendar esse mistério. Chandler foi até a escola entrevistar o aluno e o professor para saber como surgiu a ideia do “Passe adiante”. Trevor respondeu às perguntas, deixando a todos emocionados. Ao saírem da escola, ele viu seu amigo sendo novamente agredido pelos meninos. Uma coragem enorme se apossou dele, e ele foi ajudar o amigo, mas foi brutalmente atingido por um estilete que o outro menino carregava. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu. Pessoas de outros lugares ficaram sabendo da corrente e de quem foi a ideia de salvar o mundo. Vieram de todas as partes do país para fazer vigília em frente à casa de Trevor, como uma forma de gratidão para jamais se esquecerem de “passar adiante” o respeito e o amor ao próximo."

http://www.fumec.br/revistas/paideia/article/view/1286

____________

A escola e a turma e o professor, por que não?

J B Pereira

As frases abaixo podem vir do coração e da mente dos alunos e dos professores na escola?
Sim, é um lugar complexo e heterogênio como é a socieade e as turmas a cada ano. O professor é um "homem só - às vezes - pouco representada por sua classe, velho e esqueci... com uma aposentadoria próxima e longuíngua meia precária... "
"Somos um exercíto de homens sós... " Canta os Engenheiros do Havaí...
Penso que a parceria pode ser melhor e a cada dia aperfeiçoar... alguém pode dar o  primeiro passo... vencer a indiferença e ir ao encontro do outro e dos outros, do professor e dos alunos.
A escola pode ser o espaço democrático e possível de mudanças se quisermos...
Ficamos entrincheirados nos celulares e nas salas de aula - isolados no Google ...
E os alunos quando descobrem dialogam com a gente.
Buscam sentido tanto quanto o professor para o mundo estranho e hostil, talvez, mudo às vezes, violento - infelizmente...
O mundo não está aí para satisfazer ninguém...
O sistema é anônimo e números...
As estatísticas vão falar em educação dispara no Pisa ou Educar é tarefa antiga e modernamente bandeirada pela política...
Educação só nada pode, com outros ingredientes quase tudo pode, contudo é com o ser humano que se aprende e se ensina gente que gosta de gente e não carteiras... ainda aque a infraestrutura seja desejável e necessária ao aprendente e ao ensinante. Não pode falar coração que pulsa sangue ao cérebro. A lógica está a serviço das conqustas juvenis e o mundo precisa deles, sempre...
Aos poucos e rápidamente, os que estão aí nos bancos escolares nos substituirão e já estão a substituirem seus mestres e professores...
E o mundo da educação é parte do mundo das culturas e não para!
O professor envelhece e o aluno cresce!
"A alegria do Senhor Deus é sua força!"
     
The joy of the Lord God is his strength!

"Olhe para Jesus e encontre a alegria forte que pode mudar seu mundo!"

Look to Jesus and find the strong joy that can change your world!
     

https://www.bibliaon.com/alegria_do_senhor/?utm_source=push
___________________

Por que você quer mudar o mundo?

por que você estuda?

Porque quero mudar a mim primeiro e depois o mundo.
Sto. Inácio de Loyola.
______

Why do you want to change the world?

why do you study?

Because I want to change myself first and then the world.

_____

ATOS DE AMOR

Pequenos segredos para ser feliz e fazer os outros felizes também
Vamos espalhar a caridade!

1. Sorrir


Um cristão sempre é alegre. Às vezes podemos nem perceber, mas, ao sorri, aliviamos a carga dos que estão ao nosso redor: na rua, no trabalho, em casa, na faculdade. A felicidade do cristão é uma bênção para os outros e para si mesmo.

2. Agradecer



Nunca se acostume a receber as coisas, mesmo “porque você precisa” ou “porque tem direito” a elas. Receba tudo como um presente, mesmo se estiver pagando por isso. Agradeça sempre. A pessoa agradecida é mais feliz.

3. Recordar às pessoas o quanto você as ama


Você sabe que os ama. Mas… e eles? Carinho, abraços e palavras nunca são demais. Se Jesus não tivesse se feito carne, nós jamais teríamos entendido que Deus é amor.

4. Cumprimentar essas essoas que você vê diariamente


O porteiro, a faxineira, a recepcionista, o vizinho. Ao cumprimentá-los, você lhes recorda o quanto são importantes e o quanto você os valoriza.

5. Escutar a história das pessoas sem preconceito


O que pode nos tornar mais humanos que saber escutar? Cada história que lhe contam o unem mais aos outros: seus filhos, seu cônjuge, seu chefe, o professor, suas preocupações e alegrias. Você sabe que não são só palavras, mas partes da sua vida que precisam ser compartilhadas.

6. Parar para ajudar


Não interessa se é um problema de matemática, uma simples pergunta ou alguém com fome na rua. Ajuda nunca é demais. Todos nós precisamos uns dos outros.

7. Motivar as pessoas


Sabe aquele amigo que não anda muito bem? Tente arrancar um sorriso dele, para aliviar seu desânimo e ver que nem tudo na vida é ruim. É sempre bom saber que existe alguém que nos ama e que está ao nosso lado.

8. Comemorar as qualidades e conquistas dos outros


Nunca deixe de celebrar as alegrias das pessoas que convivem com você, suas qualidades, conquistas, boas ações. Simples frases como “Parabéns!”, “Fico feliz por você”, “Você fica bem com essa cor”, podem alegrar o dia de uma pessoa.

9. Doar as coisas que você não usa


Vale a pena fazer uma faxina no armário e separar algumas coisas para a doação. Isso ajuda a valorizar o que temos, engrandece nosso coração e pode fazer outras pessoas felizes.

10. Ajudar para que outra pessoa descanse


Isso pode ser vivido especialmente nas famílias. Você pode começar a fazer a tarefa de outra pessoa para que ela possa descansar, ou antes de que ela lhe peça ajuda. A vida fica mais leve quando nos ajudamos mutuamente nas responsabilidades cotidianas.

11. Corrigir com amor


Corrigir é uma arte. Muitas vezes nos encontramos em situações com as quais não sabemos lidar. O melhor método é o amor. O amor não somente sabe corrigir, mas também perdoar, aceitar e seguir em frente. Não tenha medo de corrigir e ser corrigido, isso é uma demonstração de que os outros gostam de você e querem que você seja melhor.

12. Ser detalhista com os que estão perto de você


Se você sabe do que aquela pessoa gosta, por que não aproveitar isso para fazê-la feliz? Tudo o que é dado com amor é melhor. Sair de si mesmo e pensar nos outros é maravilhoso e alegra o coração.

13. Limpar o que você usa em casa


Na vida familiar, isso é essencial para não sobrecarregar ninguém. Faça a sua parte, e faça com carinho. Você se sentirá alegre e em paz com isso.

14. Ajudar os outros em suas dificuldades


Carregar uma sacola, ajudar uma pessoa a atravessar a rua, pagar o almoço para alguém… São muitos detalhes ao seu alcance, e as pessoas não vão se esquecer do bem que você fez a elas. Demonstre que você ainda acredita na humanidade.

15. Ligar para os seus pais


Talvez você more sozinho ou inclusive já tenha sua própria família. No entanto, seus pais ainda se emocionam ao ver que você se lembra deles. Estar atento ao que eles precisam ou simplesmente ligar para saber como estão é algo que não custa muito e é um gesto de gratidão enorme.

https://pt.aleteia.org/2016/11/10/15-simples-atos-de-caridade-de-que-costumamos-esquecer/
____________
J B Pereira e https://www.youtube.com/watch?v=mrsmk_jlBuE e http://www.fumec.br/revistas/paideia/article/view/1286
Enviado por J B Pereira em 01/02/2019
Reeditado em 05/02/2019
Código do texto: T6565077
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2269 textos (1219465 leituras)
14 e-livros (85 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/10/19 08:18)
J B Pereira