Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ENQUANTO PODE...

ENQUANTO PODE...

Há anos desviu um sentimento,
Se não consigo choro, alegria sai.
A perda, é saudade, é lamento,
É fragilidade do filho sem Pai.

Difícil recordar paternidade que tive,
O amor sacrificado dele, me atrai.
Amar meus filhos em delivery,
Reduz a saudade do meu Pai.

Constragido remorso não tenho,
Declado amor expressei; Expressai!
Amar meus filhos meu empenho,
Como fui amado por meu Pai...

Não deixe para escrever versos,
Declare seu amor ao vivo agora; Vai!
Sussurre o amor em sons diversos,
Enquanto pode, no colo da Pai...
DFERRER
Enviado por DFERRER em 07/08/2019
Código do texto: T6714692
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DFERRER
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 65 anos
180 textos (3666 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/19 10:56)
DFERRER