Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Contratualismo brasileiro: justiça social (Modelo Enem)

     Na modernidade, Thomas Hobbes através de sua frase "O homem é o lobo do homem", refletiu acerca da violência que fazia a humanidade atentar contra si própria. Apesar de muitas mudanças no que tange o controle da natureza agressiva do indivíduo, ainda existe uma preocupação latente com a violência urbana no cenário brasileiro. A fim de mitigar a problemática, medidas devem ser tomadas.
     Primeiramente, é importante considerar que os principais acometidos estão em condição de fragilidade social, na maior parte são jovens negros, habitantes de regiões periféricas, passíveis de diversas formas de violência, como a criminalidade, o mercado ilícito das drogas, entre outros. Apesar de estar inserida no campo da ficção, "Capitães da Areia" ilustra bem a realidade dessa parcela, quando mostra crianças praticando vandalismo e roubo para conseguir sustento próprio, uma vez que eram órfãos não apenas de nascimento, mas, principalmente do não acolhimento do Estado, vale ressaltar que os aspectos étnicos se encaixam nos referidos. É deplorável notar que tal situação ultrapasse o campo ficcional.
     Ademais, a questão é mais profunda do que o contexto atual explana, sendo resultado de uma abolição feita sem considerar as perspectivas dos alforriados, isso porque as oportunidades de trabalho assalariado foram oferecidas aos imigrantes europeus, em virtude de estímulos feitos por filosofias eugenistas que influenciaram nesse processo de exclusão. Atualmente, os herdeiros dessa condição marginal têm muita dificuldade de ascensão, tanto pela falta de oportunidades, quanto pelo preconceito racial, fruto dos resquícios que tais teorias deixaram. Desse modo, o caminho que acaba aceitando grande parcela desses jovens é o do crime, tráfico, vandalismo, etc.
     Infere-se, portanto, que em virtude dos fatos supracitados, cabe ao Estado intervir por intermédio do Ministério da Educação, na intensificação das cotas raciais como uma forma de reparar os prejuízos dessa população, além de ter como impacto determinante a atenuação da violência, por conta da oportunidade concedida. Além disso, é importante promover através das Universidades atividades de extensão universitária, para levar às regiões carentes ensino similar aos cursinhos populares, com atividades feitas nas próprias escolas da região, para que essa parcela social consiga adentrar às vagas que foram direcionadas à ela. Apenas assim, a questão poderá ser atenuada, para que a frase de Thomas Hobbes seja mais frequente nos livros de Filosofia, e substancialmente reduzida no contexto social brasileiro.
Alexandre Alves Porfirio Vieira
Enviado por Alexandre Alves Porfirio Vieira em 31/07/2019
Código do texto: T6708690
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Alves Porfirio Vieira
Santo André - São Paulo - Brasil, 27 anos
51 textos (1799 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/19 23:30)
Alexandre Alves Porfirio Vieira