Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Explicações Sobre O Solos

FORMAÇÃO DO PERFIL DE SOLO
 A formação do solo inicia-se a partir do momento em que o material de origem material de origem (rocha) é exposto na superfície terrestre, quando, passa a sofrer ação de agentes do clima, principalmente precipitação e temperatura, acionando processos de intemperismo ("apodrecimento" da rocha). À medida que se intemperiza, a rocha vai desagregando e ficando mais porosa, passando a reter água e elementos químicos (cálcio, magnésio, potássio, sódio, ferro) e oferecendo condições de colonização por organismos pioneiros, como musgos, liquens e algas. Com o  tempo o solo vai ficando mais espesso), permitindo a instalação de plantas de maior porte. Ao morrerem, esses organismos fornecem matéria orgânica (adição), adição que passa a ser incorporada continuamente ao solo, além de fornecer ácidos orgânicos, que aceleram o intemperismo. Os minerais primários (oriundos da rocha) sofrem transformações, transformações alterando-se química e fisicamente e dando origem a novos minerais (minerais secundários), tais como: minerais silicatados e óxidos de ferro e alumínio. Abaixo da camada superficial mais escura do solo, a rocha continua se intemperizando e apresenta coloração vermelha graças à presença do ferro. Parte dos nutrientes (cálcio, magnésio, potássio), liberados desses minerais, são "lavados" do solo (perdas). Pela ação da gravidade, partículas de argila suspensas em água e compostos orgânicos podem deslocar-se pelos poros do solo, possibilitando algum acúmulo em profundidade (transporte descendente). Em climas secos, alguns sais são trazidos à superfície do solo (transporte ascendente), graças à evaporação da água.

RESUMO SOLO: É um corpo natural formado pela ação dos processos pedogenéticos que atuam com intensidade variável de acordo com os fatores de formação do solo.  INTEMPERISMO: Conjunto de processos físicos, químicos e biológicos que atuam sobre as rochas, desintegrando-as e decompondo-as, propiciando a formação do perfil do solo.  FATORES DE FORMAÇÃO DO SOLO: Material de origem, clima, relevo, organismos e tempo. ROCHAS: São os principais materiais de origem dos solos. Dependendo do tipo de rocha, os solos podem ter mais ou menos areia e argila, e serem férteis ou pobres.  CLIMA: Climas quentes e úmidos favorecem a formação de solos profundos; em climas áridos, os solos tendem a ser mais rasos e pedregosos. RELEVO: Os solos tendem a ser mais profundos em relevos planos. Em relevos inclinados, geralmente são rasos. ORGANISMOS: auxiliam na formação do solo adicionando matéria orgânica e transformando materiais.  PROCESSOS PEDOGENÉTICOS: Adições, perdas, transportes e transformações.  ADIÇÕES: Toda e qualquer adição de material ao solo durante sua formação. Exemplo: adição de matéria orgânica pelos organismos do solo. y PERDA: Toda e qualquer remoção de material do solo durante o seu desenvolvimento. Exemplo: remoção de solo por erosão, perdas de elementos químicos (cálcio, magnésio, potássio, etc.) por lixiviação.
PERFIL DO SOLO: HORIZONTES E NOMENCLATURA Perfil do solo - Perfil do solo corresponde a uma seção vertical que inicia na superfície do solo e termina na rocha, podendo ser constituído por um ou mais horizontes. Horizontes do solo - Horizontes do solo são as diferentes camadas que constituem o solo, formadas pelos processos pedogenéticos. Os horizontes e as camadas do solo são designados por letras maiúsculas - O, A, B, C e R).
Horizonte O Também é um horizonte orgânico. É simbolizado pela letra O pelo fato de ser a primeira letra da palavra orgânico. orgânico Como pode ser observado na Figura 2, o horizonte O é constituído por uma manta de folhas, galhos, flores, frutos, restos e dejetos de animais, depositados sobre o horizonte A. Pode ser encontrado em solos sob mata, sendo pouco expressivo ou inexistente em regiões de vegetação de campo. Decompõe-se rapidamente, quando o solo é submetido ao cultivo. A espessura é variável, estando condicionada principalmente pelo clima e pelo tipo de vegetação. Horizonte A - Horizonte A Está abaixo do horizonte O, quando este existe, caso contrário é o horizonte superficial. É formado pela incorporação de matéria orgânica aos constituintes minerais do solo com os quais fica intimamente misturada. O conteúdo de matéria orgânica é mais baixo, quando comparado com o dos horizontes O e H, com teores raramente superiores a 10%, sendo por isso considerado um horizonte mineral. Este horizonte tem grande importância agrícola (local onde concentra a maior parte das raízes das plantas) e ambiental (horizonte superficial que primeiro recebe os poluentes depositados sobre o solo). Geralmente, tem coloração escura, graças à presença de matéria orgânica, a qual se encontra bastante mineralizada, ou seja, decomposta e transformada em húmus. A decomposição de raízes é a principal fonte de matéria orgânica para a formação deste horizonte. A sua espessura é variada e depende do clima e da vegetação. Em regiões de baixa precipitação, como, por exemplo, nordeste do Brasil, é pouco espesso e mais claro em decorrência da escassez de vegetação. Nos estados sulinos, onde a vegetação é mais exuberante e o clima mais frio, pode atingir mais de 1 metro de espessura. Por conter maior quantidade de material orgânico, é mais poroso, mais leve, menos duro e menos plástico e pegajoso (atributos que favorecem, por exemplo, o preparo do solo), assim como apresenta maior atividade biológica que os demais horizontes minerais de um perfil de solo. Em muitas regiões do Brasil, o horizonte A já foi parcial ou totalmente removido por erosão, causando diminuição da qualidade agrícola e ambiental do solo, já que sua restauração aos níveis originais é praticamente impossível. Horizonte B - Horizonte B Situa-se abaixo do horizonte A e sua cor é devida principalmente aos minerais de ferro da fração argila, sendo as mais comuns vermelha, amarela ou vermelhoamarela (Figuras 2 e 3). O teor de matéria orgânica, bem como a atividade biológica, é menor do que o do horizonte A. Pode apresentar variações em relação à espessura (centímetros a vários metros), fertilidade, coloração, tipo e tamanho das estruturas, mineralogia e quantidade de areia, silte ou argila. C - Encontra-se abaixo do horizonte B. É a rocha intemperizada, podendo apresentar manchas de diversas cores. R - É a última camada do perfil e representa a rocha que ainda não foi intemperizada. R 14 Valmiqui Costa Lima e Vander de Freitas Melo O SOLO NO MEIO AMBIENTE 4. TIPOS DE PERFIS DE SOLOS Considerando a grande variação nos fatores (rocha, clima, relevo, organismos e tempo) e processos (adição, remoção, transformação e translocação) responsáveis pela formação do solo (ver Capítulo 1), existem, na natureza, inúmeros tipos de perfis, os quais podem apresentar um ou mais horizontes, dependendo do seu grau de desenvolvimento. Um solo jovem, por exemplo, pode apresentar apenas o horizonte A sobre a rocha (A-R), enquanto um mais velho tem maior número de horizontes (A-B-C-R).
Vinicius Moratta
Enviado por Vinicius Moratta em 03/06/2019
Código do texto: T6664102
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vinicius Moratta
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil
1018 textos (37524 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/19 06:58)