Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RELATÓRIO: CONCEITO E ESTRUTURA


REDAÇÃO – TEXTO 1
http://www.curso-objetivo.br/vestibular/resolucao_comentada/unicamp/2014_1fase/UNICAMP_2014_1fase.pdf

TEXTO 1
Você e um grupo de colegas ganharam um concurso que
vai financiar a realização de uma oficina cultural na sua
escola.
Após o desenvolvimento do projeto, você, como membro
do grupo, ficou responsável por escrever um relatório
sobre as atividades realizadas na oficina informando o
que foi feito. O relatório será avaliado por uma comissão
composta por professores da escola. A aprovação do
relatório permitirá que você e seu grupo voltem a con -
correr ao prêmio no ano seguinte.
O relatório deverá contemplar a apresentação do projeto
(público-alvo, objetivos e justificativa), o relato das ati -
vidades desenvolvidas e comentário(s) sobre os impactos
das atividades na comunidade.
Na abertura do concurso, os grupos concorrentes rece -
beram o seguinte texto de orientação geral:
As Oficinas Culturais são espaços que procuram oferecer
aos interessados atividades gratuitas, especialmente as de
caráter prático, com o objetivo de proporcionar opor tu -
nidades de aquisição de novos conhecimentos e novas
vivências, de experimentação e de contato com os mais
diversos tipos de linguagens, técnicas e ideias. As
Oficinas Culturais atuam nas áreas de artes plásticas,
cinema, circo, cultura geral, dança, design, folclore,
fotografia, história em quadrinhos, literatura, meio
ambiente, multimídia, música, ópera, rádio, teatro e
vídeo.
O público a ser atingido depende do objetivo de cada
atividade, podendo variar do iniciante ao profissional. As
Oficinas Culturais visam à formação cultural e não à
educação formal do cidadão. Pretendem mostrar ca mi -
nhos, sugerir ideias, ampliar o campo de visão.
Adaptado de Oficina Cultural Regional Sérgio Buarque de Holanda.
Disponível em:
http.//www.guiasaocarlos.com.br/oficina_cultural/conceito.asp.
Acessado em 07/10/2013.)
Comentário à proposta de Redação
O candidato deveria colocar-se na posição de membro
de um grupo de colegas que, após terem vencido um
concurso que os premiou com a criação de uma
Oficina cultural na escola, deveria escrever um
relatório, dirigido a uma Comissão de professores,
sobre as atividades realizadas pela oficina,
UNIICAMP — NOVEMBRO/2013
informando o que foi feito, destacando o público-alvo
(no caso, os alunos e a comunidade da qual a escola
faz parte), os objetivos do projeto (inserção social por
meio da aquisição de “novos conhecimentos e novas
vivências” , tais como o contato com artes plásticas,
cinema, teatro, dança etc.) e justificativa (a
preocupação com a formação cultural dos par -
ticipantes, gerando assim um impacto positivo sobre a
comunidade). O relatório deveria ter caráter
persuasivo, já que visava à apro vação da Comissão
para permitir ao grupo concorrer ao prêmio no ano
seguinte, o que lhe conferiria uma segunda
oportunidade de estar à frente da Oficina cultural.

 
___________________________________________
Estrutura do relatório
Conforme o tipo de relatório, este tem uma estrutura específica. Vejamos as partes que comumente compõem diversos tipos de relatórios (forma e conteúdo):
Capa: contendo o título do relatório, o nome do autor, o nome da instituição ou da empresa pela qual se executou a atividade objeto do relatório, o local onde foi escrito e a data (geralmente mês e ano ou só ano).
Modelo:
Colégio Salesiano
Ensino Médio Profissionalizante
Relatório semestral
das Atividades do
Grêmio Estudantil
Responsável: Hipócrita Medeiro
Cargo: Presidente
Araçatuba
1999
Obs. A apresentação geral (tamanho e tipo das letras, margens, espaços) é variável.
Folha de rosto – incluindo os dados bibliográficos essenciais do relatório: título (e subtítulo, se houver), autor(es), editor (se houver), local e data da edição (se for o caso).
Obs. A folha de rosto é dispensável, se o relatório não se destina à publicação.
Sumário – índice dos tópicos tratados, com a indicação das páginas.
Introdução – declarando-se o propósito do relatório, ou seja, dizendo-se porque e/ou para que ele foi redigido. Dependendo do tipo de relatório, contém: a indicação de quem/ o que determinou a tarefa, a pesquisa ou a investigação; o método adotado; o equipamento usado; as pessoas envolvidas ou colaboradores.
Desenvolvimento – relatando-se pormenorizadamente os procedimentos realizados e os fatos ocorridos ou apurados, com a indicação de data(s), local(is), método(s) adotado(s), pessoas/equipamentos envolvidos, julgamento dos fatos ou considerações sobre os fenômenos observados. Em geral, é dividido em tópicos e subtópicos específicos que devem ser intitulados.
Conclusão – contendo as considerações finais a respeito da tarefa, da pesquisa ou da investigação, tais como: retomada das conclusões parciais (de cada tópico), interpretação e crítica dos fatos apurados, recomendação de providências cabíveis, sugestões.
Fecho – incluindo o local, a data e a assinatura do autor.
Anexos – contendo tabelas, dados estatísticos, gráficos, ilustrações, documentos comprobatórios, etc. que não se incluem diretamente no desenvolvimento.
2. Tipos de relatórios
Odacir Beltrão, em seu livro Correspondências (16ª edição, são Paulo, Atlas, 1981) enumera, entre outros, os seguintes tipos de relatórios:
Relatório de gestão anual – elaborado em período regulares (em geral, um ano civil, fiscal, financeiro); nas empresas, é exigido por lei o estatuto, sendo destinado aos sócios acionistas ou à população (empresas estatais).
Relatório de inquérito (policial, administrativo, etc.) – elaborado, eventualmente, para fins de investigação, de estudo de normas de procedimento, de relato de visita.
Relatório parcial – elaboração para abranger uma fração de exercício ou de gestão (mensal, trimestral, semestral).
Relatório de rotina – elaborado em função da rotina de trabalho de gerência, chefia e equivalentes.
Relatório de pesquisa – elaborado por profissional técnico ou científico, ao final da pesquisa (laboratório, campo, gabinete).
Relatório científico – elaborado por pesquisadores científicos, em função de atividades acadêmicas ou para divulgação em revistas científicas.
Modalidades de redação no relatório
Normalmente, num relatório, são usadas as três modalidades de redação: a descrição (de objetos, de procedimentos, de fenômenos), a narração (de fatos ou ocorrências) e a dissertação (explanação didática, argumentação).
É evidente que a redação deve ser clara, coerente e pautar-se pelo uso da norma culta escrita.
A linguagem usada normalmente é formal, mas há exemplos de relatórios em que a criatividade estilística rompe a rotina e o estereótipo, como o que foi escrito por Graciliano Ramos, quando era prefeito de Palmeira dos Índios (1928) e do qual transcrevemos um fragmento:
Exmo. Sr. Governador:
Trago a V. Exa. um resumo dos trabalhos realizados pela Prefeitura de Palmeiras dos Índios em 1928.
Não foram muitos, que os nossos recursos são exíguos. Assim minguados, entretanto, quase insensíveis ao observador afastado, que desconheça as condições em que o Município se achava, muito me custaram.
COMEÇOS
O PRINCIPAL, o que sem demora iniciei, o de que dependiam todos os outros, segundo creio, foi estabelecer alguma ordem na administração.
Havia em Palmeira inúmeros prefeitos: os cobradores de impostos, o comandante do destacamento, os soldados, outros que desejassem administrar. Cada  pedaço do Município tinha a sua administração particular, com prefeitos, coronéis e prefeitos inspetores de quarteirões. Os fiscais, esses, resolviam questões de polícia e advogavam.
Para que semelhante anomalia desaparecesse lutei com tenacidade e encontrei obstáculos dentro da Prefeitura e fora dela - dentro, uma resistência mole, suave, de algodão em rama; fora, uma campanha sorna, oblíqua, carregada de bílis. Pensavam uns que tudo ia bem nas mãos de Nosso Senhor, que administra melhor do que todos nós; outros me davam três meses para levar um tiro.
Dos funcionários que encontrei em janeiro do ano passado restam poucos: saíram os que faziam política e os que não faziam coisa nenhuma. Os atuais não se metem onde não são necessários, cumprem as suas obrigações e, sobretudo, não se enganam em contas.  Devo muito a eles.
Não sei se a administração do Município é boa ou ruim. Talvez pudesse ser pior.
ILUMINAÇÃO
A iluminação da cidade custou 8:921$800. Se é muito, a culpa não é minha: é de quem fez o contrato com a empresa fornecedora de luz.
OBRAS PÚBLICAS
Gastei com obras públicas 2:908$350, que serviram para construir um muro no edifício da Prefeitura, aumentar e pintar o açougue público, arranjar outro açougue para gado miúdo, reparar as ruas esburacadas, desviar as águas que, em épocas de trovoadas, inundavam a cidade, melhorar o curral do matadouro e comprar ferramentas. Adquiri picaretas, pás, enxadas, martelos, marrões, marretas, carros para aterro, aço para brocas, alavancas etc. Montei uma pequena oficina para consertar os utensílios estragados.
EVENTUAIS
Houve 1:069$700 de despesas eventuais: feitio e conserto de medidas, materiais para aferição, placas. 724$000 foram-se para uniformizar as medidas pertencentes ao Município. Os litros aqui tinham mil e quatrocentos gramas. Em algumas aldeias subiam, em outras desciam. Os negociantes de cal usavam caixões de querosene e caixões de sabão, a que arrancavam tábuas, para enganar o comprador. Fui descaradamente roubado em compras de cal para os trabalhos públicos.
CEMITÉRIO
No cemitério enterrei 189$000 – pagamento ao coveiro e conservação. (in Viventes de Alagoas, Graciliano Ramos)

Postado por Hélio Consolaro às 22:14

 

___________________________________

http://conceito.de/relatorio

 

O conceito de relatório, enquanto derivado do verbo relatar, é a exposição, oral ou escrita, das características e circunstâncias de um sucesso ou assunto. Trata-se, por outras palavras, da acção e efeito de relatar.

No âmbito da política, um relatório é o parecer de uma comissão parlamentar.

No campo do direito, trata-se de uma exposição dos motivos que determinam a apresentação de um projecto de lei ou decreto.

Por outro lado, um relatório é o documento que se caracteriza por conter informação que reflecte o resultado de uma investigação ou de um trabalho, adaptado ao contexto de uma determinada situação. Trata-se, muitas das vezes, da narração escrita e circunstanciada dos factos ocorridos na administração de uma sociedade, ou dos dados recolhidos numa inspecção.

Regra geral, o propósito do relatório é, obviamente, relatar (ou reportar). Em todo o caso, pode incluir elementos persuasivos, como recomendações ou sugestões.

Os relatórios podem ser públicos ou privados. Por exemplo, permitem responder às perguntas que as pessoas colocam ao governo ou a uma empresa.

Relativamente à sua estrutura, os relatórios tendem a repetir a estrutura de uma investigação científica (introdução-métodos-resultados-debate). Apesar de existir uma formatação padronizada, pode ser flexibilizada, podendo nomeadamente basear-se na estrutura de problema-solução, de acordo com as preocupações da audiência.

Dependendo do tipo de relatório (crítico, síntese ou académico), o formato pode ser simples, com títulos e subtítulos que indicam os assuntos tratados, ou complexo, com gráficos, imagens, tabelas, diagramas, apêndices, resumos, notas de rodapé e referências variadas.

 
Leia mais: Conceito de relatório - O que é, Definição e Significado http://conceito.de/relatorio#ixzz2l6B9NBVu
Postado por: José João Bosco Pereira às 10:44
http://www.curso-objetivo.br/vestibular/resolucao_comentada/unicamp/2014_1fase/UNICAMP_2014_1fase.pdf
Enviado por J B Pereira em 19/11/2013
Código do texto: T4577369
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2464 textos (1483376 leituras)
19 e-livros (206 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/08/20 01:16)
J B Pereira