Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

este grito

estou isolado e
minha mãe morreu não
faz muito.
não vejo ninguém nem mesmo
a mim
não vejo a ti
só te vejo sentado pelo
computador quando o carteiro me acena
que chegou correspondência foi um
livro que comprei.
canso e me levanto e vou
até a geladeira pego uma garrafa
de cerveja e penso penso penso
passo o tempo pensando
só por isso não
enlouqueço.
não enlouqueço porque penso e
converso
o tempo todo com mim mesmo.
largo a garrafa e penso
que merda são apenas três e ainda não
posso beber.
morreu gente pra caralho e
minha mãe também morreu
a mãe dos meus amigos e o pai o
tio o amigo do amigo também
morreu
as pessoas nem aí pra mim
foda-se elas não estão aí nem
pra si nem pra
ninguém.
preciso ir no
mercado comprar mamão melão e
pão me arrumo
e vou de
máscara que aventura
volto com
medo.
posso morrer a qualquer momento sempre
soube mas agora
é diferente agora
posso morrer igual
a todo mundo e é tão
triste morrer igual a
todo mundo.
a morte quando
previsível mata
com mais morte.
roger ceccon
Enviado por roger ceccon em 09/04/2021
Código do texto: T7228129
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
roger ceccon
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
585 textos (38749 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/05/21 16:42)
roger ceccon