Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Desabafo

Sinto uma dor dentro no peito que parece querer arrancar minha alma para fora do meu ser, parece que Deus invisivelmente esta tentando me dizer ou mostrar algo que não consigo descobrir, talvez seja você que tenho que encontrar para viver o dia e não a noite nua e crua. Pensando, observando, divagando, talvez possa acreditar na mensagem que ELE tenta me enviar.

 
No fim da tarde vejo um cidadão que mais parece um sujeito comum que aprecia o dia com o olhar de um concor sem modos, sem noção, comovido honestamente com os transeuntes que passam sem direção.  Todos têm um ideal para existir, o meu foi ler no livro santo da vida, o motivo que me fez perder você, que sempre foi o meu maior imaginário, que acabei deixando se malograr no caminho do tempo. Quase sempre nas leituras de seus textos, sinto um pouco de tristeza e magoas, vejo você no deserto dos seus temores, procurando o caminho para retornar ao inicio de onde tudo começou.
 
Exatamente depois dos dias que se passaram, fico no imaginário do meu pensamento como seriam nossos sonhos, perfeitos ou imperfeitos? Na verdade jamais saberei...  Na maioria das vezes houve cansaço por tentar corrigir o que parecia não ter correção, fugir e procurar um dia mais bonito para me acostumar com a situação, mas essa não era a alternativa certa a fazer, talvez não haveria nenhuma  forma de reconstrução para o que foi colocado abaixo por nós dois.
 

Os bons momentos que deixamos para trás parece ter sido esquecido no buraco negro de tudo que foi imperfeito para nós; os olhares carinhosos encantados que disciplinarmente nos fortalecia, o quimérico da primeira namorada que não apresentei aos amigos, tudo isso ficou para outra vida. Se acreditava em milagre, não me lembro, se acreditava em anjos, talvez um dia isso tenha acontecido, não lembro.
 
Hoje a vida seguiu você de um lado e eu de outro, nossos destino giraram com o cosmo, vitorias foram alcançadas, derrotas também, e o universo continuou crescendo sem se importar com a imensa dor que sentir; talvez tenhamos nos acostumados não com a perda, mas a viver um sem o outro. Assim a minha essência seguiu com o brilho do sol, acreditando nos meus sonhos e planos que um dia poderá dar certo, ao seu lado ou sozinho, não importa, a vida segue ladeira abaixo. 
TCintra
Enviado por TCintra em 27/12/2020
Reeditado em 27/12/2020
Código do texto: T7145213
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
TCintra
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 58 anos
522 textos (7780 leituras)
1 e-livros (28 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/09/21 01:15)
TCintra