Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Santo de barro, até uma goteira desmancha

E quando o santo é de barro? E quando o castelo é de areia? E quando o edifício que se julgava inabalável, com o tempo se descobre que tanto o alicerce, quanto suas vigas eram de gesso? Tudo isso, mais a constatação de que seus idealizadores eram movidos por sentimentos, em tudo e a todo momento, vis e contrários às boas e esperadas práticas da segurança. Que a construção, embora, esperada por muitos como a mais sólida obra que inaugurava um novo tempo. Quando, apoiado por todos os meios e matizes,  o povo, embasbacado, olhava, dia a dia - e anunciado por canais "informativos" - via a rígida torre se erguer na planície. Tudo se ruiu. Tudo se desfez ao se constatar que os engenheiros de tamanha maravilha, moviam-se por escombros mais que suspeitos, mais que sonegadores de higidez ética. Enfim, tudo se mostrou frágil.  Assim, não nos deve assustar que o santo, o castelo e o edifício desmoronaram tão logo ventos novos se apresentassem no horizonte. Assim o rei se mostrou nú. Como na anedota já conhecida e encenada há muito tempo. Só nos resta esperar a cortina encerrar o espetáculo.
silvio lima
Enviado por silvio lima em 12/06/2019
Reeditado em 12/06/2019
Código do texto: T6671036
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (silviolima.recantodasletras). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
silvio lima
São Paulo - São Paulo - Brasil, 53 anos
2041 textos (34213 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/06/19 01:31)