Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TELHADO DE VIDRO, autoria de J B Pereira, em "Antologia Poética, Prêmio Poesia Livre 2013":

TELHADO DE VIDRO na p. 164-5 em POESIA LIVRE: CONCURSO NACIONAL NOVOS POETAS - 2013, ANTOLOGIA POÉTICA, Vivara.

Poema aprovado em o Concurso Nacional Novos Poetas, Prêmio Poesia Livre 2013, entre 2.186 inscrições de todo o Brasil.

A Vivara Editora informa que recebeu da comissão julgadora, no dia 18 de janeiro, a lista protocolada dos 250 candidatos classificados no processo seletivo.

Parabéns. A sua poesia foi classificada e fará parte do livro, "Antologia Poética, Prêmio Poesia Livre 2013"

É um orgulho fazer parte desta grande comunidade literária de Novos Poetas.

Seu Editor,


Isaac Almeida

Vivara Editora Nacional < atendimento@concursonovospoetas.com.br

Vivara Editora.jpg
3.59 KB
 Visualizar
 Baixar

_________________

Lista dos Classificados publicada em 20 de janeiro de 2013

ACESSAR LISTA DE CLASSIFICADOS E EDITAL

__________________

TELHADO DE VIDRO, de J B Pereira

 

Não jogues pedra, meu filho,
Pois podes precisar de teu vizinho
Nas horas avançadas da noite;
Mesmo se ele não for como tu
 E se ponto de vista acabrunhado
O irritar deveras e/ou por um instante.

Não tires pedra, minha filha,
Se tua colega se afastar de ti,
E comparar os vestidos e/ou
Alguma tecnologia se parecer
Melhor que a que dominas:
Hoje até as meninas brigam
Feio pelos meninos nem sempre
Aos nossos olhos, tão honestos
Ou dignos de amor... Mas, os acham
Tais e tais; isso a incomoda deveras.

Não lances a pedra de sua irritação
Diante da pregação de alguns pastores e padres,
Se não lhe pareçam tão profundas e santas;
Ninguém é santo e bom o suficiente,
senão o próprio Deus, cujo Filho penderam
à cruz, sinal de paradoxo e libertação.

Não emitas uma pedra ao telhado de vidro
Teu e de teu irmão e tua amiga e teus pais,
Teus educadores, se não for apenas para dizer
Que você se acha superior e atrair a atenção:
“Quem não tiver pecado atire a pedra, então...”

Das pedras, atiradas, poucas atingiram
O alvo: caíram ao chão como brasas – sinal de hipocrisia;
Covardia e egoísmo: Nem mesmo, uma só pedra
da parede permaneceu em pé..

Observe silente e cauteloso, filhos,
O alicerce está ocultado na terra,
Mas sustém o prédio e a casa que vemos:
Cultiva a paciência, deixe a Deus o julgamento,
Não és o dono da verdade e nem o juízo do mundo.
J B Pereira e Vivara Editora Nacional < atendimento@concursonovospoetas.com.br
Enviado por J B Pereira em 23/01/2013
Reeditado em 01/05/2013
Código do texto: T4101508
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2474 textos (1485321 leituras)
19 e-livros (206 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/08/20 15:54)
J B Pereira