Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Banho de realidade

E naquela tarde de sol, poesia tomou um banho de realidade,
Foi esfregada com bucha in natura, de sementes ainda verdes;
A toalha que secou as letras, não tinha amaciante, asperidade,
Machucava, raspava a cada linha, doía, mas aguentava firme.

Era preciso, sabia; mas tinha um receio que tudo se perdesse,
Simplesmente escorresse pelo ralo, mas pensou "um pouco só";
Que mal faria, guardaria quimeras, no País das Maravilhas, prece,
Essa, que prontamente atenderia, um creme, um pouco de pó...

Uma maquiagem leve, uns acessórios básicos, uma roupa fresca,
Depois desse banho, e tudo ficaria perfeito, mas havia o choque;
E esse era o que mais temia, a realidade seria tanto, compressa,
Não adiantaria, mas aguardaria, agora era o banho, depois .doc.

Salvaria um resto de ilusão, pouparia a imaginação, e seria feliz,
Comporia com alguns palavrões, nada de falsidades e hipocrisias;
Sentenças  verdadeiras, pronomes, verbos, como nunca se quis...
Assim seria, decidiu que voaria só de dia, asas podadas da poesia.
Meri Viero
Enviado por Meri Viero em 14/01/2016
Código do texto: T5511398
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Meri Viero
Guarapuava - Paraná - Brasil, 49 anos
1464 textos (46243 leituras)
4 áudios (236 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/20 16:25)
Meri Viero