Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONTRADIÇÃO

Era só eu sempre em frente,
só eu sempre,
não querendo ser só,
seguindo sempre.

Eu e meu momento,
viajando nos espaços com sabor amargo
travado na garganta,
como a planta que não floresce,
como se a água não fosse suficiente pra desabrochar seu sorriso
e o regozijo não existisse com o sabor da água,
como se o encanto da água fosse um pranto triste e necessário.

Era eu solitário,
ouvindo aquela canção que cala a alma,
com o sangue correndo nas veias,
iluminando as células com o seu pulsar de vida,
sentindo a brisa me abraçando,
entrando pelos poros,
nadando nas asas da imaginação sobre o rio caudaloso do meu deserto,
tudo e nada sem você por perto.

Era eu ao cair da noite, na vertigem do dia,
pensando em alguém que não existia,
tentando entender o porquê,
naquela noite feliz e vazia sem você,
miragem, ilusão,
apenas uma luz passageira que alegrou meu coração.


Orlando Alves Ribeiro
Enviado por Orlando Alves Ribeiro em 19/07/2020
Código do texto: T7010679
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Orlando Alves Ribeiro
Fortaleza - Ceará - Brasil
38 textos (396 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/20 11:38)
Orlando Alves Ribeiro