Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Saravá! amigos da palavra

Peço permissão a Vinícius de Moraes para usar a expressão, Saravá!!!

Querido João , saravá!!!
que as águas do rio Catu  nos  leve  para os esgotos dos mercados imundos desta cidade, para sentirmos
o quanto há de engano ali
quando do alto entorna-se lixo
Quando do alto entorna-se lixo, evidência a
maldade humana, o quanto
de ruel há em ver a palavra liquida   morrer !

A poesia na noite santa
Cobriu  com lençol de organza o  espaço refletindo a luz de Órion
para revelar o
quanto temos de santo de espanto de  linguagem

Saravá! Professora Célia Sousa Pereira,  Oxalá te guarde e bendita seja sua sabedoria filha do  pajé Nequinha da tribo dos paiaiá  indígena guerreira

Saravá!
Saravá Milfa  Valerius! oxalá! te regue e abençoada seja a tua palavra
nesta casa de sortilégios

Saravá! Maria José oxalá te cubra de bençãos para te ver rodar  vestida  de Capulana Áfricana cheia de letras e mistérios.

Saravá
Normandia Azi, Oxalá ilumine a sua varanda e o canto de Gregório vire mantra de beleza e de mistérios

Oxalá Roque  filho de Omolu irmão de Zachariadhes que o velho te proteja e te cubra com as flores de São Lázaro  proteja a sua sabedoria e a sua espiritualidade

Saravá!  Filha de
Oxalá   IARA Monalê  que Oxalufan molde com ternura  o teu turbante  azul  e Oxossi derrame água de flor na tua cabeça e na de Beinho sua alma gêmea

Oxalá Lúcia Borges representante guerreira de pele vermelha poeta da curva do rio batizada nas águas do Jordão Oxalá!
Berna Alves, Oxalá Berna de Neguinho, que a Roda sagrada do fogo de Aruanda te regue e te carregue neste palco de bençãos e de encantos

Oxalá! Lito Ramos  o alagoindio Littus  Silva   são tantos Littus nessa  Africa Tupi  Oxalá  pajé da tribo dos Cablocos orixás (Katu) pra você meu amigo!
Ogum guerreiro saravá

Oxalá  José Olívio Que  os poetas do gueto os negros africanos desencarnados
lave teus pés e a tua cabeça e o teu destino
E foi assim que tudo começou com a permissão dos Orixás
e se apagou para recomeçar
Saravá! meu pai Saravá! minha mãe Que a deusa do tempo nos dê a liberdade e claridade
para caminhar ao lado dessa gente bonita  cheia de coragem e sabedoria Saravá para quem ilumina
E se ver  na arena e ouvi o gemido do boi e entende  a sua queda e o seu sofrimento
 
Saravá! Iraci Gama Santa Luzia, oxalá!
Olorum te receba no panteão do amor no seio da tribo dos Malês
e cubra a tua cabeça com turbante branco de Oxalá.

Saravá! Crisanto Borges Oxalá poeta bendito que o Haícai do céu seja escrito pelos três verso seus

Saravá! mestre Benigno Oxalá que os deuses da música te receba  no palácio dos cristais e te abrace com ternura e paz e que o som do teu instrumento
Ecoe, ecoe e  liricamente quede ao pôr do sol no fundo dos  nossos quintais

Saravá Benditos! Saravá  Pitágoras Fernandes Mineiro de coração baiano Poeta da palavra bemdita Oxalá
Te leve ao portal de Delfos
e o Deus Zeus te receba no  anfiteatro  e te dê paz e sabedoria
saravá!

A noite nos convida a passear e todo poeta que se entrega a esta entidade se encanta saravá! mãe Maria das Dores
 
Saravá!   amigos da palavra dita e escrita,  salve todas as palavras benditas
Saravá no ritmo dos tambores Saravá!
Odunduá, Saravá! Xangô de ronda Saravá! meu pai Aruanda.

Lázaro Zachariadhes

Lázaro zachariadhes
Enviado por Lázaro zachariadhes em 11/03/2019
Código do texto: T6595388
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lázaro zachariadhes
Alagoinhas - Bahia - Brasil, 62 anos
160 textos (1655 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/04/19 03:17)
Lázaro zachariadhes