Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

À árvore e os frutos de coração.†

Enclausurada a raiz
Bem no afins lá do fundiu
O profundo latente do meu quintal
Havia uma árvore contraditoria
Eu admirava a sua imensa glória
Mais do seu fruto eu não comia
Ela tinha algo que me embevecia
Ao ponto de me amedrontar
Se ousou a cultivar diferentes acensões
Ao invéz de frutos dela crescia corações
Indubitalvemente, eles batiam muito forte
Como a intensa luz de um holofote
Adentrados em artérias e veias
Encouraçados por sons crepitantes
Faziam o meu corpo fumegar
Com a grande intensidade do olhar
A deformar uma visualisação notória
Mas do mesmo jeito que o broto cresce
O coração amolêce a sua árvore
Sentimental fértil, que despenca
E cai ao chão assim como todos
Os ovários de uma flor em seus contratos
Um de seus corações desvencilhou-se
De sua mãe primonêgita desatinando-se
Desapunhalando-se ao chão endurecido
Esmigalhando e se transformando em geléia de morango
Com muito sangue ao seu redor
E pormenor acabando eternamente
Com a batida incipiente que a vida lhe despojo..
Á alma é barata
Enviado por Á alma é barata em 08/12/2009
Reeditado em 08/12/2009
Código do texto: T1966128

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Á alma é barata
Suzano - São Paulo - Brasil, 33 anos
162 textos (4953 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/08/20 18:45)
Á alma é barata