Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tua morada é dentro de um vulcão

Agora que estás proibido
Aprisionado
Nunca fostes por mim tão desejado
Seu coração bate trancafiado
E já não é convidativo
Como quando nós sentávamos à beira do precipício de nossas vidas
E sabíamos que se pulássemos, seria de mãos dadas
Não te recordas da tua morada?
É dentro de um vulcão adormecido
Tu te derramas em chamas se estás comigo
Somos aneurisma e vastidão
Morte e ressurreição
Um campo florido
Deserto carrasco
Somos planície e penhasco
Ar puro
Fumaça vulcânica
Se me provocas, me liquefaço
Esparrada pelas curvas da tua estrada, sou chuva ácida que corrói o cadeado
Agora estás livre
Apaziguado
E ainda te quero mais
E hei de sempre querer
Posto que amar é não saber entender, que a lava também há de queimar a mim mesma
E posso não sobreviver

Inspirado por T.

@lorydemacedo
Lorena de Macedo
Enviado por Lorena de Macedo em 19/08/2019
Reeditado em 11/09/2019
Código do texto: T6724290
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Lorena de Macedo
Uberlândia - Minas Gerais - Brasil
113 textos (6620 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/07/20 23:02)
Lorena de Macedo