Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POETA NA ARTE DE AMAR.

És poeta sem caneta e sem papel e desenvolves com suas próprias mãos a arte de amar. Seus beijos quentes e cheios de paixão são desperdiçados pelo meu corpo de forma empolgante.
(...)
Me elevando ao mais elevado grau dessa loucura, a ponto de não poder mais controlar o anseio de estar em seus braços e senti-lo assim tão perto de mim.
O tempo passa de forma absurda quando estamos juntos entregues a esse momento glorioso. Mas não é “hora” de pensar na hora. O momento pede mais dessa aventura, corpos suados, molhados e entrelaçados um devorando ao outro.
Ali nós dois nos amamos nos entregamos, sentimos o prazer que havia em nossos corpos sendo liberado de um para o outro num fluxo perfeito. (...) Te quero assim o tempo todo, mas peço-te um favor não façamos promessas um ao outro, que tal vivermos apenas um dia de cada vez? E como dizia o poeta que seja eterno enquanto dure...
Alessandra Fersan
Enviado por Alessandra Fersan em 08/09/2011
Reeditado em 10/09/2011
Código do texto: T3207238
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Alessandra Fersan
São Paulo - São Paulo - Brasil, 28 anos
104 textos (4172 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/08/20 17:13)
Alessandra Fersan