Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Corpo Efêmero da Felicidade

És o próprio corpo da felicidade
Nos seus vastos momentos de candura,
À sombra dessa castidade
Está o inconsciente que jamais é anfitrião da luz.

Até que a incandescência da razão
Incorpora a sua face,
E o rastro da tépida fadiga
Se esconde nuns centímetros de sorriso.

Como a última folha da árvore de outono,
Ela cai sem ansiar a chegada ao chão,
Como os passos lentos do velho murmurante
Ela somente espera pela próxima viagem sem destino ou retorno.

No instante falho da consciência
Quando os púrpuros raios de sol não encontram superfície,
Embriaga-se nas alusões do seu instinto
E depois se recobra como alguém que interrompe o ato.

Se depara com a camada de submersão
Da qual nem se quiseres estarás livre,
Então abstrata-se para manter sua essência
E sua felicidade se faz completa de novo.
 
Raquel Leal
Enviado por Raquel Leal em 11/10/2018
Reeditado em 12/10/2018
Código do texto: T6473210
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Raquel Leal
Almenara - Minas Gerais - Brasil
1 textos (11 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/18 08:22)
Raquel Leal