Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ELEGIA DE FIM DE ANO

Porque hoje é o último dia
De um ano que vai-se embora.
Já sinto uma grande agonia
Neste ser que pede e implora.

Se não bastasse o sofrimento
Que impõe dor e a alma chora.
Como suportar este tormento
Que invade a paz e a deflora?

O Ano foi-se e a esperança
Com o cavaleiro e sua espora.
Sofreu as perdas desta andança
De tanto açoite a qualquer hora.

Sofreu os percalços de uma lida
Em que a fé, quase evapora.
Mas que ganhou uma sobrevida
Vindo à galope, sem demora.

Este Novo Ano que vida nova
Vai trazendo e ao Velho implora:
Que finde logo já que se inova
O calendário a partir de agora.

O Novo Ano traz um novo verso
Poesia linda, minh ’alma decora.
Que traga ventos, exato inverso
Sopro de vida que não descora.

O rublo sangue que corre na veia
Me leva em sonhos, mundo afora.
E enrodilhado nesta bela teia
Sou poeta grego numa bel ágora.

O Ano passou, secam-se lágrimas
A felicidade, o meu sonho escora.
Buscarei da vida novos paradigmas
Pois o Velho Ano o tempo já devora.

Choro não pelo Velho estar nas últimas
Mas o medo do Brasil viver diáspora.
Jess
Enviado por Jess em 31/12/2016
Código do texto: T5868563
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Josué Ebenézer de Sousa Soares.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jess
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
169 textos (17659 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/09/19 14:41)
Jess