Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Convicção

Não esperava aquela surpresa!
Por muito tempo escavei no chão duro,
só, com as próprias mãos, à procura do sonho.
Feri a carne e rasguei a terra, pacientemente.
E só parei quando a borboleta amarela,
no seu voo desajeitado,
pousou na minha poeira.
__Ela trazia novas das minhas latitudes!
Segredou-me caminhos, várias vezes ao ouvido...
Joguei fora os meus nãos, ponderei os meus sins
e combati de peito aberto
ferindo a terra e rasgando a carne...

Não esperava aquela surpresa...
Minhas pepitas estavam lá no fundo
muito além do meu tempo, muito além da poesia!
Eligio Moura
Enviado por Eligio Moura em 17/08/2019
Código do texto: T6722426
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eligio Moura
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1270 textos (29301 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/19 10:06)
Eligio Moura