Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HOUVE UM (ALGAMA)


Houve um tempo em que amei
Mas a completitude esvaziou,
E a flor tenra também se perdeu.

Houve um tempo de selado,
Você às vezes, do meu lado,
A eternidade então se esqueceu.

Houve um tempo de solidão,
Nos abismo que cavei,
E nos sonhos infantis que criei.

Houve uma correspondência,
Não amor, mas carência,
De algo bem mais voluptuoso.

Houve Traição escondida,
Até o fim, até sua partida,
Até o dia em que ainda te amei.

Houve amor, interior, só meu,
Coisa que você distorceu
Ao favor de ter meu corpo, e só.

Houve um tempo em que amei
Mas o agalma era lôbrego,
E feito um vão, o meu coração
Desapareceu.

Houve no amor apenas eu.

Luamor


PS: NÃO CONFUNDAM A OBRA COM O AUTOR



Chris Cornell - Like a Stone c/leg

http://www.youtube.com/watch?v=z8pnpCeaydA


========================================================

Espetacular soneto do poeta mestre Jacó Filho que muito me honrou



NÃO ERA AMOR


Meu coração vazio perde no ar teu cheiro,
Grita de saudades, ilhado de tua presença...
Perde-se por paixão e nela, põe-se inteiro,
Distante da razão que o amor vira doença...
 
Sonha sobre as águas com os pés n' areia,
Afogado no sentir sem ritmo ou compasso...
As ondas sedutoras, da mulher que anseia,
Moldam indiferenças, pondo dor no abraço...
 
Promessas no ouvido, soaram como falsas,
Reduzindo efeito de aparências fascinantes,
Para um sentimento moldado em ressalvas...
 
Se nossos corações fossem belos amantes,
Não víamos ninguém, o resto, iria às favas...
O céu nos receberia, por eternos viajantes...(Reedição)

Jacó Filho

========================================================

" Era o meu coração uma asa viva e turva e porosa asa de anelo.
Era primavera sobre os campos verdes.
Azul era a altura e era esmeralda o chão.
Ela -a que me amava- morreu na primavera.
Recordo ainda os seus olhos de pomba em desvelo.
Ela -a que me amava- fechou os olhos de pomba em desvelo.
Ela -a que me amava-  fechou os olhos. tarde.
Tarde de campo, azul. Tarde de asas e vôos.
Ela -a que me amava- morreu na primavera.
E levou a primavera para o céu."

Pablo Neruda  _____________________ De Crepusculario
Luamor
Enviado por Luamor em 19/07/2018
Reeditado em 20/07/2018
Código do texto: T6394606
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Luamor
São Paulo - São Paulo - Brasil
1056 textos (79723 leituras)
17 áudios (866 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/19 00:50)
Luamor