Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 
Em palavras
 
Nada parece tão simples
Deito no colo do tempo
Vivo a caminhar juntando letras
Passo pelo silêncio encantado
E viajo entre veredas solitárias
Estreitas e descuidadas
Palavras inquietas surgem
Nunca me deixam só
Irritam-me as reticências
Quando sinto a hora do descanto
Sigo na noite a colhê-las
É complicado e impossível domesticá-las
Debruço na página um traçado em vogais
O silêncio acolhe a dista e vai
Na irreverência clara de alguns verbos
E segue à noite a fabricá-las
É deserto e nunca me deixam só
A solidão não ousa me aborrecer
Todas juntas fazem muito barulho
Qualificando os ruídos pertinentes
O vento sopra novo em folha
Passo pelo orvalho para resfriar a alma
São dias claros e outros nem tantos
Tirei férias e vou caminhando
Entre partes ainda não ditas
Num amor desmedido
Sigo num caminho prolixo
Entre adjetivos difusos e exóticos vou indo
Sei que o real torna mesmo possível
Num delinear apalavrado
 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. 
 

 
 
 


 
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 02/02/2019
Reeditado em 05/02/2019
Código do texto: T6565298
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre a autora
Gernaide Cezar
Salvador - Bahia - Brasil
356 textos (21079 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/05/21 22:19)
Gernaide Cezar

Site do Escritor