Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Deito no meu tempo
 
Deito no meu tempo
Formado no silêncio apático
Tudo contempla e retorna na essência
Onde dorme na terra o grão
Como o reflexo da noite que nem vejo
 
Sigo na ternura expressa
Que passa e canta na glória o tempo
Entre os meus atos não sei o que sinto
Os poetas choram em versos
E nas rimas passadas me encontro
 
Na solidão o silêncio vislumbra o vazio
Traçando no tempo um retrato em listras
Numa imagem futurista que reza
É estranho ver janelas sem vida
Mostrando até as fissuras das palavras
 
Sinto em partes as curvas do tempo
Através da vidraça noturna
Onde as estrelas são manchas pálidas
O tempo costura a ilusão passada
Lá depositei o que sinto e não falo
 
Preciso de espaço para me aquietar
No desgosto das horas recortadas
É a certeza que flutua na vontade
Próximo ao ato que não faz sentido
Deixando ausente todos os desejos fartos
 
Penso em fazer alguns versos
Relatando a sombra de um sonho
Que acaba bem no fim da noite
Deitada na lembrança que finge
Entender o tempo que ainda resta



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License.





 
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 03/07/2018
Reeditado em 19/08/2018
Código do texto: T6380595
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Gernaide Cezar
Salvador - Bahia - Brasil
344 textos (20935 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/05/21 19:12)
Gernaide Cezar

Site do Escritor