Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A última carta


Em frente à lareira, silêncio total. Uma taça rachada até No borda com vinho. Uma música clássica Bem leve no som atrás de mim. Um papel e uma caneta sobre a mesma.

Começo a descrever todo o desfecho daquela história. A sala escura só uma vela ascesa sobre a mesa ilumina o papel. Já prevendo a luz de vida dentro de mim se apagando.

Nesse momento quem se importaria com o que estou sentindo?  a vida sempre foi dura, nada foi fácil. Não importava com quantas eu dormia ou quantos porre tomava.

No final do amanhecer eu sempre me sentia sozinho. Nada Daquilo preencheria o vazio do meu peito.

Destinado a viver sozinho, condenado pelo destino.

Nesse momento não consigo chorar, tudo seco durante a frieza que meu coração foi se tornando. A taça transborda, sujando de vinho o maldito papel que desabafo.

Pego o revólver Aponto para a cabeça Puxo o " Cao " Coloco o dedo no gatilho, Deslizo lentamente para o final. Quando alguém bate na porta, vou verificar quem é;
Pasmo, não acredito, é  ela.
C Ferreira
Enviado por C Ferreira em 19/11/2016
Código do texto: T5828036
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
C Ferreira
Cuiabá - Mato Grosso - Brasil, 22 anos
3 textos (17 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/19 18:22)