Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Por atalhos abstratos
 
Caminho com os olhos fixos
Sempre nos meus atos falhos
Levo para distante o meu pensar
Formando uma vida negada
Por atalhos abstratos
Que sempre me dizem não
Sigo passos rápidos que atropelam
A montagem do dia seguinte
Que traz uma dose festiva
E deixo represada no lago dos sonhos
Com os olhos suados e sorridentes vejo
Rostos agitados estressados e velhos
No reflexo da água morta
A brisa passa causando
Um frescor suave e matinal
A água cai da fonte em fios
Como lágrimas de chuva
Formando a anatomia do dia
Num ciclo de sonhos não sonhados
E no horizonte um sol dourado
Entrelaça-se com o arco-íris
Era como se houvesse partido
Para debruçar na luz
O cântico poético
Da paz



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License.
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 14/09/2016
Reeditado em 14/09/2016
Código do texto: T5760659
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Gernaide Cezar
Salvador - Bahia - Brasil
344 textos (20935 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/05/21 19:48)
Gernaide Cezar

Site do Escritor