Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Ando no meio da multidão

Como se quisesse livre ser
Traçado na essência em tempo
E sem entender a linha egoísta
No pensamento que flagela
Por trás da minha angústia
Ando no meio da multidão
Estranho os absurdos que penso
No eco dos anos fechados
Viajo em partes e sublinho etapas
Posso fazer e surpreender
Na junção dos meus atos
E no passado não me encontro
Sinto um certo prazer
Viajo numa onda de contemplação
Parece que ando em versos
Numa abstração poética
O tempo venta e apaga
Abraço tudo que me resta
Ficaram vários desejos
E com fé tudo procede
Nas formas invisíveis
Dos sonhos não sonhados
Destruindo os conceitos velhos
Vejo uma grande deformação
Nas aberrações destorcidas
Eu não temo o mundo
Desejo abraçar a lua
Entre o abismo do meu olhar
Numa luta de esperança
No brilho do manto em vida
Para encher céu terra e mar
De ótimas vibrações




http://creativecommons.org/licenses/by-nd/4.0/">Creative Commons Licensehttps://i.creativecommons.org/l/by-nd/4.0/88x31.png" />
This work is licensed under a http://creativecommons.org/licenses/by-nd/4.0/">Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License.
 
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 16/08/2016
Reeditado em 20/08/2016
Código do texto: T5730479
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Gernaide Cezar
Salvador - Bahia - Brasil
344 textos (20935 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/05/21 19:00)
Gernaide Cezar

Site do Escritor